domingo, 25 de agosto de 2019

TRINDADE (Em 03 & Outras 07 Questões)


IMPORTANTE: 
Caso o leitor queira ofertar, leia
ESTE MINISTÉRIO APOLOGÉTICO & SUA COOPERAÇÃO, publicado em AGOSTO de 2019:
https://missaoimpactar.blogspot.com/2019/08/este-ministerio-apologetico-sua.html?m=1 .
.

OBS.:
Texto em elaboração.

ÍNDICE: 

I - INTRODUÇÃO
.
II - TRÊS QUESTÕES
Nota:
A necessidade e a oportunidade deste artigo surgiram de um de debate. Refutávamos um muçulmano e suas suposições corânico-islâmicas quanto à  Doutrina bíblica  de Deus.
E nas TRÊS QUESTÕES, insolúveis para qualquer  seguidor de Muhammad  (Maomé), demonstramos o quanto tal profeta e demais muçulmanos  estão DESQUALIFICADOS para debater o tema.
.
III - ABRINDO UM PARÊNTESE.
Nota:
Explicando o porquê do item anterior. E para que o leitor, sendo cristão, saiba calar os desinformados. Pois estes, tal como os falsos mestres do tempo dos apóstolos, falam do que não sabem e precisam melhor se informar.
No ensejo, demonstramos, também, porque que o Allah corânico NÃO pode ser Deus. E  isso, através do próprio livro tido por sagrado pelo Islam.
.
IV - SETE QUESTÕES:
.
1 - JESUS: Teria Tido Uma Origem?

2 - A Doutrina do ESPÍRITO SANTO:  Confirma Ou Não A Deidade do Mesmo???

3 - DEUS FOI À CRUZ?
E Isso Seria Mesmo Preciso??
E O Que Isso Tem A Ver Com O Termo & O Conceito TRINDADE???

4 - QUAIS OS PRINCIPAIS CONCEITOS SOBRE DEUS
(Nas Religiões Monoteístas Ou Ditas Monoteístas)?

5 -  E O QUE DIZER SOBRE OS PRINCIPAIS CONCEITOS DE DEUS NAS RELIGIÕES MONOTEÍSTAS??

6 – QUAL O (VERDADEIRO) CONCEITO BÍBLICO DE DEUS?
E Como Dizê-lo, Simplificando Ao Máximo???
.
7 - SOBRE ALGUNS TERMOS & EXPRESSÕES BÍBLICOS.
- Os Termos Unigênito,  Primogênito da Criação, Primogênito dentre os mortos, Filho do Homem & O Filho de Deus NEGAM A DEIDADE DE JESUS?
- E AS FALA DE CRISTO, quando na condição humana: "O Pai é o maior do que eu", "De mim mesmo nada posso fazer", "Aquele dia e hora ninguém sabe; nem os anjos do céu, nem o Filho, senão o Pai"??
NEGARIAM A DEIDADE DE CRISTO???
.
V - SETE PERGUNTAS
(Que Todo Cristão Precisa Fazer Sobre O Tema):
.
1 - COMO Conhecer Uma Doutrina Bíblica?
2 - Quais São Os Principais Conceitos Sobre Deus Na Cristandade & Nas Religiões Monoteístas?
3 - Então, Qual O (Verdadeiro) Conceito Bíblico de Deus?
4 - Existem Evidências Bíblicas de Deus Que Se Conformam Aos Conceitos Trinitarianos?
5 - Por que, Então, Os Cristãos Apostólicos Não Definiram A Doutrina de Deus  (Filosoficamente) Com Este Conceito?
6 - Haveria Reparos A Fazer No Credo Niceno?
7 - Que Conclusão Tirar Sobre O Até Aqui Exposto?
.
VI - QUAIS OS BENEFÍCIOS DA FÉ  CORRETA?

1 - Permanência Na Unção & Na Doutrina dos Apóstolos.
2 - Adoração Perfeita.
3 - Ter Em Perspectiva O Verdadeiro Caráter de Deus & A Grandeza da Sua Graça.
4 - Lutar Pela Unidade da Fé.
5 - A Correta Compreensão da Doutrina Nos Permite Desfrutar de Um Melhor Relacionamento Com Deus.
6 - Possibilidade da Correta Compreensão de Termos & Passagens Bíblicas Aparentemente Difíceis.
7 - Estarmos Habilitados Para Responder Àqueles Que Nos Interrogam Sobre Os Fundamentos da Nossa Fé.
.
VII - IMPLICAÇÕES DA FÉ NÃO CORRETA:
.
1 - Não Permanecer Na Doutrina dos Apóstolos.
2 - Um Atentado Contra A Unidade da Fé (Apostólica).
3 - Ir Além Ou Ficar Aquém do Que Está Escrito.
4 - Preconizar A Idolatria Em Nível Cósmico.
5 - "Corromper" O Caráter de Deus: P. ex.: Tomando-O Por Injusto E/Ou Moralmente Imperfeito.
6 - Grave Erro Doutrinário: Desvio de Conduta Em Relação À Pessoa E À Obra de Deus.
7 - Tentar (Diminuir Ou) Roubar A Glória da Cruz.




I - INTRODUÇÃO:

"Atendei por vós e por todo o  rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue."
(LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS 20:28)


i - A palavra TRINDADE "existe"  e não existe na Bíblia.
Como assim???
Trindade é uma ABREVIAÇÃO das seguintes palavras de Jesus: "Em (o) NOME do Pai, do Filho e do Espírito Santo" (EVANGELHO DE MATEUS 28).
Nota: Jesus não disse nos "nomes"; disse em o nome. E mais: nenhum ato sagrado pode, nas Escrituras bíblicas, ser realizado, senão em nome de Deus.
Logo, as palavras de Jesus, abreviadas (Trindade.) enfatizam que Deus é um e único  ("Em o nome".) e que  Pai, Filho e Espírito Santo possuem a mesma, igual e única IDENTIDADE: Deus.
.
ii - O fato de UMA PALAVRA não existir na Bíblia significa que o SEU CONCEITO não seja real?
Não, necessariamente!
Também não existe na Bíblia a palavra TIO. Mas, sabemos: Lot era sobrinho de Abraão (TORAH, Gênesis 14:16).
ALCORÃO: ao que eu saiba, NÃO EXISTE A PALAVRA AMOR em tal livro. Se tiver, algum muçulmanos, por favor, me auxilie.
Mas... isso não quer dizer que o amor não exista. Ainda que deturpado pela poligamia  (SURA 33:50-53) e a ... de algumas mulheres. Fato que faz com que Aisha, nas Tradições, levante seguinte QUEIXA:
.
- “Narrou Aisha:
Eu menospreza aquelas moças que davam a si mesmas ao Apóstolo de Allah e tive de dizer: ‘Pode uma moça dar a si mesma (a um homem)?’ Mas, quando Allah revelou: ‘Podes abandonar, dentre elas as que desejares e tomar as que te agradarem, e se desejares tomar de novo (temporariamente) a qualquer delas que tiveres abandonado, não terás culpa alguma.’ (33:51). Eu disse (ao Profeta): ‘Sinto que teu Senhor se apressa em cumprir seus desejos e vontades.’.”
(BUKHARI, Vol. 06, Livro 60, Número 311).
Nota: Sem comentário.
 .
iii - ENTÃO, estamos entendidos: o fato de não existir determinada palavras na Bíblia e no Alcorão NÃO significa que tal conceito ou realidade não exista.
E podemos ver isso de outra maneira: existe a palavra MISERICÓRDIA no Alcorão ("Allah é Misericordiador".)
Mas...
alguém pode me dizer como ela se processa?
Ou se faz algum sentido a misericórdia, num livro que ensina a justiça própria???
VOLTANDO AO ASSUNTO: Neste artigo, o qual faz parte de um DESAFIO proposto a Mamadu Darame,  trataremos:
- TRÊS QUESTÕES sobre o termo e o conceito Trindade, com referência ao Alcorão. E, por extensão, ao Islamismo.
- SETE QUESTÕES com relação às Escrituras bíblicas e o Cristianismo.
Em resumo: Muhammad  (Maomé) e seus seguidores estariam mesmo aptos para tal debate?
E o que diz a doutrina da Trindade encontra sustentação nas Escrituras bíblicas???
Falta dizer que o termo Trindade NÃO foi criado pelo CATOLICISMO. Foi usado primeiramente por Tertuliano, teólogo africano, qual viveu no Século  (II) anterior ao da fundação daquela religião.
EM TEMPO:
Link da postagem de Mamadu Darame, geradora deste DESAFIO:
https://www.facebook.com/groups/Biblia.Alcorao/permalink/1316624401819201/
.
II - TRÊS QUESTÕES
(Sobre A Trindade, Com Relação Ao Alcorão & O Islamismo):
.
- ALCORÃO, Sura 5:116 - HN-a:
"E lembra-lhes de quando Allah dirá: "Ó Jesus, filho de Maria. Disseste tu aos homens: "Tomai-me e a minha mãe por dois deuses, além de Allah?".
.
QUESTÃO 01:
Maomé faz referência à TRINDADE na SURA 4:171. E  usa, varias vezes no Alcorão, a palavra "thalathah" (como se fosse três).
Mas...
Três "não poderia nunca ser traduzido ou entendido como Trindade" (John Gilchrist).
Estamos diante de uma deficiência semântica  ou de um ERRO INTENCIONAL de tradução.
A mesma coisa  que aconteceu com a  "tradução" Yeshua (Jesus ou Josué) por Issa  (Esaú)?
E, quem sabe, para dissimular o real significado do nome (Deus salva)??
Ou teria o comprovadamente  ignorante deus do Alcorão  (LINKS), assim como fez confusão entre Maria e Miriam (19: 27-28), também teria confundido Jesus com o irmão de Jacob???
NÃO foi com esse significado (Três.) que o termo e conceito Trindade  foi criado e sempre utilizado. Veremos isso, mais adiante.
PIOR é como, pela Sura 5:116,  Maomé definiria a Trindade.
.
Pergunta:
Maomé e o deus do Alcorão, ao falar da Trindade: fazem a REFERÊNCIA CORRETA?
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo (Expressão de Jesus em Mateus 28.) ou... ao PAI, ao FILHO e à... MARIA???
.
QUESTÃO 02:
Os muçulmanos de hoje, dentre os quais Mamadu Darame, ao falar da Trindade, fazem REFERÊNCIA À QUEM?
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo  (corretamente) ou... ao Pai, ao Filho e à Maria (incorretamente)???
.
QUESTÃO 03:
QUE DIZER de um deus e de um profeta, cujos seguidores sabem mais do que eles sobre o tema?
E os seguidores de tais deus, profeta e livro?? Estariam mesmo em condições de  fazer qualquer debate sobre as Escrituras bíblicas s, tomando por  fundamento o que dizem o seu deus, livro e profeta???
.
III - ABRINDO UM PARÊNTESE:
.
Por que, com as TRÊS QUESTÕES, deixo o Alcorão e o Islamismo num dilema insolúvel?
.
A) Para repetir o que faz o Senhor, nos Evangelhos, com os FARISEUS e os SADUCEUS.
Eram grupos religiosos dos quais o ISLAMISMO reúne em si as suas piores características: LEGALISMO e INCREDULIDADE.
Isso é por demais acentuado em seus seguidores. E estes, vivem primeiramente de uma  suposta submissão a Deus, o qual NÃO é Allah (Vou provar.)  E, principalmente, da  DIFICULDADE de aceitar até o que está posto literalmente nas Escrituras bíblicas s: Deus é um; e o Pai, o Filho e o Espírito Santo são em essência de ser (Ou na sua IDENTIDADE.) este Deus. E sendo assim também literalmente  nomeados.
Vou provar.
.
B) O que acabo de dizer (sobre Deus) desafia, mas só aparentemente, à lógica?
Sim.
Requer FÉ para aceitarmos o que está além da nossa (capacidade de) compreensão??
Também.
Ora, algo que me parece lógico e está totalmente dentro do que eu possa compreender requer fé?
Não, em absoluto!
E Deus, que está além de todas coisas, precisa ou irá se ajustar à nossa (capacidade de) compreensão?
Jamais. Nem Ele e assim como muitas outras coisas que Ele não revelou  ou não quis nos revelar inteiramente (DEUTERONOMIO 29:29).
.
C) E eu também iniciei o DEBATE, no qual propus o DESAFIO referido neste artigo com DUAS QUESTÕES.
Elas foram propostas aos participantes muçulmanos.
- Allah é Deus?
- E o que  você faria, se eu te provar  (Pelo Alcorão e as Escrituras bíblicas.) que o autor do Alcorão, além de NÃO onisciente, é um completo ignorante???
.
SIMPLIFICANDO AO MÁXIMO:
i - SURA 9:30:
Os judeus são acusados pelo autor do livro de possuírem uma crença que jamais tiveram: crer num tal Uzair ou Ezra Izrã (Depende da tradução) como o Filho de Deus.
Trata-se de uma ACUSAÇÃO LEVIANA e impossível de ser provada. Mais um produto da desinformação ou da makara mesmo (SURA 3:54) do tal Allah.
E para quê?
Justificar a violência cometida até hoje contra os judeus.
E aqui cabe outra EVIDÊNCIA da leviandade do autor do (E não pode ser Deus!):
- Fora o fato de não existir na literatura judaica religiosa, inspirada ou não, nenhum Uzair ou Ezra ou Izrã, o que encontramos nos Evangelhos?
- O relato de que Jesus foi acusado de blasfêmia e, por isso mesmo, condenado à morte, justamente pelos de sua época e por causa de quê???
R - Declarar-se o Filho de Deus  (EVANGELHO DE JOÃO 5:18 / MARCOS 14:60-62).
Os judeus sabiam as implicações de tal declaração, quando em referência ao Messias, que era como os seguidores de Jesus O tinham. Em outras palavras, era declarar-se (igual a) Deus. Voltem aos dois textos bíblicos citados e verifiquem o que estou dizendo.
Ora, se rejeitaram a Jesus, que ensinava, operava curas e grandes milagres, como a ressurreição de mortos e a multiplicação dos pães, seria a qualquer judeu (E da e na Arábia.) de quem diria isso?
Então, não é só a HISTÓRIA e a LITERATURA JUDAICA que desmentem a Sura 9:30. Os EVANGELHOS também. Até porque Jesus não estava mentindo, ao fazer tal declaração sobre Si.
ii - SURA 19:27-28:
o autor do Alcorão, dada a sua NÃO ONISCIÊNCIA  E COMPLETA IGNORÂNCIA, simplesmente faz confusão entre Maria (Mãe de Jesus.) e Miriam, irmã de Aarão.
iii - SURA 5:116:
o já exposto nas TRÊS QUESTÕES deste artigo. Elas comprovam, assim como as Suras citadas, o quanto tal livro e seu autor  (E não pode ser Deus!) se mostram desautorizados para falar sobre temas bíblicos:
- Monoteísmo;
- Jesus Cristo;
- Os judeus;
- Os cristãos;
- As Escrituras bíblicas, sua autoridade e autenticidade, conceitos teológicos, personagens, etc. e etc.
ABRAM,
ao final, os LINKS sobre a Suras 9:30, 19:27-28 e o Alcorão  (e suas impropriedades) e  SAIBAM com pormenores o que estou dizendo.
E  o que insisto em afirmar sobre quem escreveu tal livro e, hoje, sobre os seus seguidores????
O mesmo que Paulo disse de alguns falsos mestres do tempo dos apóstolos:
"Pretendem se passar por mestres da Lei; não compreendendo, todavia, nem o que dizem, nem os assuntos sobre os quais fazem ousadas asseverações."
(CARTA A TIMÓTEO 1:7)
.
IV - SETE QUESTÕES
(Com Relação Às Escrituras Bíblicas & Ao Cristianismo):
.
1 - JESUS TERIA TIDO UMA ORIGEM?
R - Pelas Escrituras bíblicas, NÃO!
Até porque Deus é pré-existente a todas as coisas. E não é sem causa que O MESSIAS é chamado, nos Profetas  (ISAÍAS 9:6),  Deus-Forte, sentido de O Todo-poderoso, e PAI DA ETERNIDADE  (Ou Eterno).

i - Tudo na Bíblia começa num período de tempo denominado "No princípio". Nesse período, foram criados os céus e a terra e, por implicação, os seres (animais, humanos e espirituais)  que os habitam (TORAH, Gênesis 1:1-3; JOAO 1:1-3; HEBREUS 11:1-3, 1 JOÃO 1:1-3).
Vamos chamar de ETERNIDADE PASSADA o período de antes da Criação. E de ETERNIDADE FUTURA ao tempo que virá, após a Volta de Jesus e o Juízo Final  (Apocalipse 19:11-20:15).
.
ii - Há apenas DOIS FATOS cruciais que podemos saber do período denominado "no princípio" (Criação) e do tempo que o antecede, ou seja, a ETERNIDADE PASSADA.
O primeiro fato sabemos por inferência e não por relato bíblico ou testemunho. Trata-se da REBELIÃO CÓSMICA DE SATANÁS.
E por quê?
Ele já aparece nas Escrituras como a Serpente, em rebelião contra (a Palavra de) Deus e inimigo mortal dos homens  (TORAH, Gênesis, capitulo 3 / APOCALIPSE 20:2 e 7-10). Ele instigou Adão e Eva ao pecado da desobediência por falta de fé na palavra de Deus.
O segundo fato é a EXISTÊNCIA DE JESUS, eterna e no sentido deídico do termo.
.
iii - E, ENTÃO?
Jesus teria sido também criado no período denominado "no princípio"?
NÃO!
Jesus, o Pai da Eternidade, criou todas as coisas (e seres) surgidas no (e a partir do) referido período.
- EVANGELHO DE JOÃO 1:1-3:
"No princípio era o Verbo (A PALAVRA), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas (A CRIAÇÃO)  foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez."
- CARTA AOS COLOSSENSES 1:16-b e 17:
"...Tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes  (PRÉ-EXISTENTE) de todas as coisas. Nele, tudo  (O QUE VEIO À EXISTÊNCIA) subsiste."
ENTÃO,
em qual período  de tempo situarmos a existência  (E não um suposto início para a Sua existência,  uma vez que Ele é eterno.) de Jesus? E como Ele existia???
- EVANGELHO DE JOÃO 17:5:
"E, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo,  com a GLÓRIA que eu tive junto de ti, ANTES QUE HOUVESSE MUNDO."
Nota final:
Jesus não pertence ao princípio. Mas, ao período  antes do mesmo, aqui chamado Eternidade passada.  Até por ser o criador dos seres e das coisas que foram chamadas a existência no princípio da Criação.
Antes daquele período, na Eternidade passada, Ele já  existia em glória e unicidade com o Pai.
E só  não vê Deidade nisso quem não quer ter olhos para ver e ouvidos para ouvir aos Apóstolos, aos Profetas  (bíblicos) e ao próprio Jesus  (JOÃO 8:58, APOCALIPSE 1:8 e 17-18).
E como é ridículo, nesses tempos de debates acirrados, ver muçulmanos e até unitaristas citando autores bíblicos que os desautorizam.
E para quê?
Supor poderem negar o biblicamente inegável:  o que acabo de vos expor.
.
2 - A DOUTRINA BÍBLICA DO ESPÍRITO SANTO: CONFIRMA SIM OU NÃO A DEIDADE DELE?
R - Sim.
.
i - O Espírito Santo tem a sua  PRIMEIRA MENÇÃO nas Escrituras, no princípio e se fazendo ATUANTE na Criação.
.
"No princípio criou Deus os céus e a terra.
A terra, porém, era sem forma e vazia. E o Espírito de Deus se movia (PAIRANDO) sobre a face das águas."
(TORAH, Gênesis 1:2)
Notas:
A primeira verdade a ser extraída destes dois primeiros versos da Bíblia é a seguinte: para estar presente e atuante na Criação, o Espírito, assim como Jesus, é PRÉ-EXISTENTE à ela.
E essa mesma Eternidade deídica, é confirmada pelo autor da CARTA AOS HEBREUS, que refere a ele como o ESPÍRITO ETERNO (9:14).
A Eternidade, no sentido  deídico do termo, é o principal atributo da divindade. Pois deste atributo decorre todos os demais.
 .
ii - O Espírito Santo, nas Escrituras bíblicas, é CHAMADO LITERALMENTE DE DEUS?
Sim.
É o que faz o apóstolo Pedro, ao tratar com Ananias e Safira, em ATOS 5: 3-4.
E cabe-nos corrigir o CONCEITO ERRADO de que o Espírito não seria um ser (Deus), mas, apenas uma força. Pois, para essa terrível e absurda suposição,  Ele seria, no máximo, "o poder Deus".
Deus é espírito, disse Jesus (JOÃO 4). E o  Espírito é a ESSÊNCIA DE SER do Senhor:
.
"Ora, o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito (SANTO) do Senhor aí há liberdade."
(2 CORINTIOS 3:17)
Notas:
- Uma força NÃO se entristece; mas, O Espírito,  SIM (EFESIOS 4:30).
.
- Uma força NÃO fala ou se expressa; mas, O Espírito Santo, SIM (ATOS 28: 23-29).
Foi Ele quem falou aos e através dos PROFETAS do Antigo Testamento. E se expressou aos e através dos APÓSTOLOS e primeiros discípulos no Novo (ATOS 13: 1-3, 15:28,     1 TIMÓTEO 4: 1-5). E, sobre tudo: continua falando à igreja de Cristo  (Ou seja, aos verdadeiros cristãos.), através da interpretação correta do ensino dos apóstolos (AT)  e dos profetas  (NT).
E por quê?
"Ele (JESUS) veio e anunciou paz a vocês que estavam longe e paz aos que estavaum perto,
pois por meio dele tanto nós (OS JUDEUS) como vocês (GENTIOS) temos acesso ao Pai, por um só Espírito.
Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus,
edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular."
(CARTA AOS EFESIOS 2:16-20)
.
- Uma FORÇA É  INDIFERENTE às palavras e para com os pecados dos homens. Porém, O ESPÍRITO JAMAIS. Foi o que disse Jesus  (EVANGELHO DE MATEUS  12: 31-32 / SALMO 106: 32-33).
- No texto bíblico (ATOS 20:28) que usei como epígrafe, fala do Espírito Santo constituindo bispos (Líderes ou  pastores supervisores.) na igreja de Deus. É Deus, na pessoa do Espírito, quem constitui os verdadeiros ministros da e na igreja de Cristo. 
.
iii - Os principais ATOS atribuídos a Deus (Criação  e Redenção) são também    atribuídos ao Espírito  (GÊNESIS 1:1-2, SALMO 104:30, HEBREUS 9:14, ATOS 20:28).
E, logicamente, o  PRINCIPAL ATRIBUTO divino; o qual é a Eternidade. E, deste, decorre todos os outros.
Não é sem causa que o Espírito Santo Consolador é, também, chamado de O ESPÍRITO DE CRISTO (1 PEDRO 1: 9-11). Uma vez que estes mesmos atos e atributos, tão somente concernentes a Deus, são ao Senhor Jesus também atribuídos.
- Estamos diante de um  UNICISMO bitolado; para não dizer satânico; uma vez que Allah não é Deus  (LINKS)?
- Estamos diante do UNITARISMO, bíblica e teologicamente,  anticristão???
- Ou estamos diante da mais CLARA EVIDÊNCIA, nas Escrituras bíblicas, em favor do TRINITARISMO???
Deus é um e único. Sendo, todavia  (o) Todo-poderoso, pode ou não ser o Pai, o Filho e o Espírito, sem deixar de ser, em sua essência,  um e o mesmo Deus?
Qual concepção de Deus O limita e o deixaria em conflito com a Sua revelação, as Escrituras bíblicas???
Não podemos crer em Deus, atropelando as Escrituras e ao ensino de Jesus, principalmente, sobre Si mesmo (APOCALIPSE 1:8).
Daí, a seguinte advertência apostólica (2 JOÃO 1:9):
.
"Todo aquele que ULTRAPASSA a doutrina de Cristo e nela não permanece NÃO TEM DEUS; o que PERMANECE na doutrina, esse tem tanto TEM O PAI COMO O FILHO."
Notas:
Não permanecer é deixar de crer como criam os Apóstolos. E ir além, como   fazem o Islam e os unitaristas é: buscar fora das Escrituras explicações  para o que nelas já está revelado. E ninguém pode negar. Ter o Filho quanto o   Pai e, por extensão, o Espírito significa o quê?
Te-los na devida conta: Jesus não é uma ou a principal criatura; e nem o Espírito uma força.
.
iii - A MAIS CLARA EVIDÊNCIA
de que o Espírito Santo é Deus talvez esteja na sua ATUAÇÃO NOS SERES HUMANOS, ao longo das Escrituras.
Foi ele quem inspirou os escritores (2 PEDRO 1:18-20), sem, no entanto os despersonalizar.
Como assim?
Os escritores de vasta cultura (Como MOISÉS, SALOMÃO  e ISAÍAS.) permaneceram cultos, quando o Espírito se expressou através deles. E um escritor simples e até mesmo rude, como foi AMÓS  (7:14-15 e 4:1), não  deixou de ser quem era. Lendo os livros destes profetas, percebemos não haver alterações em suas personalidades.
-
NÃO HÁ RELATO, nas Escrituras,  de que os ANJOS habitem os seres humanos. Eles os protegem e lhes entregam mensagens da parte de Deus. Já os DEMÔNIOS, sim. Estes, possuem os seres humanos, atormentado-os e lhes despersonalizando.
E o que acontece, no geral?
Uma pessoa boa pode, de repente ou em certos momentos, se mostrar ruim. E uma pessoa perversa, fingir ser boa e tudo aquilo que não é; até que seja desmascarada.
E entendemos ser os demônios os  anjos que se rebelaram contra Deus, acompanhando Satanás (APOCALIPSE 12: 7-9)
Quando?
No período chamado "NO PRINCÍPIO". Antes deste tempo, na ETERNIDADE PASSADA, não existiam céus e terra. E, obviamente,  outros seres que não fosse o  (futuro) Criador de todas as coisas. Sendo estas pela palavra (O Verbo.) chamadas à existência.
E aqui, convém lembrar  (Ver o item 01.), o Senhor Jesus já existia e em glória, antes da fundação do mundo  (JOÃO 17:5).
-
Deus não criou seres ruins. Ele não é Allah, o qual alega ter criado os demônios  (ALCORÃO, Sura...). Os demônios eram anjos bons, os quais, no uso de seu livre arbítrio, acompanharam Satã e se fizeram perversos.
No que diz respeito à atuação nos humanos, QUAL A GRANDE DIFERENÇA entre o Espírito Santo Consolador e os demônios e/ou espíritos malignos?
O Espírito Santo pode habitar, sem despersonalizar, vários indivíduos ao mesmo tempo. E isso acontece ao longo da História e da revelação das Escrituras. Já os demônios,  habitam somente  um ser humano por vez: sozinhos, em grupos e até com uma legião.
A Bíblia fala de pessoas endemoniadas, com apenas um apenas ou com uma legião de demônios (MARCOS 5:9 e 9: 14-23). E todas elas sendo atormentadas.
-
Mas..
Voltemos ao Consolador. Na TORAH, o mesmo Espírito Santo que habitava e inspirou Moisés, esteve no e inspirou com sabedoria o principal artífice do Santuário  (ÊXODO 31:1-5). E, da mesma forma,  habitou e capacitou os setenta líderes escolhidos para auxiliarem a Moisés  (NÚMEROS 11: 24-29)
NOS EVANGELHOS E NO NT, o Espírito habita todos os cristãos nascidos de novo e em todos os tempos  (JOÃO 1:1-14, 3: 3-6, 20: 22-23, ATOS 2: 1-4 e 38-39).
O Espírito Santo NÃO é uma força, como querem fazer supor os unitaristas; trata-se de um ser. E eterno, no sentido  deídico do termo  (HEBREUS 9:14). E haveria mesmo como identificar-Lhe, senão como Pedro, o apóstolo, O identificou (Deus)???
Biblicamente falando, não.
E como está escrito: se alguém não tem o Espírito de Cristo, o qual é o Espírito Santo Consolador, essa tal pessoa não é Dele. Em outras palavras: não pertence a "Cristo, o qual é Deus bendito sobre todos. Amém" (CARTA AOS ROMANOS 9:4
.
3 - DEUS FOI À CRUZ?
E ISSO ERA MESMO PRECISO??
E O QUE ISSO TERIA A VER COM O TERMO & O CONCEITO TRINDADE???
.
"Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu sangue."
(ATOS DOS APÓSTOLOS 20:28)
.
R - Sim.
O PRINCÍPIO DA CULPA & DO SUBSTITUTO.
Qualquer bom conhecedor  das Escrituras sabe: desde a entrada do pecado no mundo, uma ÚNICA FORMA DE CULTO foi aceita por YHWH Deus. Trata-se do SISTEMA DE SACRIFÍCIOS  SUBSTITUTIVOS.
Um animal era sacrificado em lugar dos ofertantes, por causa dos pecados destes.
E o que fica claro?
QUEM DEVERIA SER MORTO
não era o animal. Afinal, este nem era um ser
 racional; mas, aquele que o ofertou. E o  animal, mesmo sendo inculpável, tomava o lugar do pecador.
Temos, então, o PRINCÍPIO DA CULPA E DA SUBSTITUIÇÃO.
Alguém era culpado diante de Deus. E, para não ser morto, precisava de um substituto. Caso não o apresentasse, não seria aceito.
.
i - Abel, filho de Adão e Eva, é  o primeiro mencionado nas Escrituras,  oferecendo sacrifício (TORAH, Gênesis 4). E tal prática, como sendo agradável ao Senhor.
Não podemos dizer que Adão e Eva tenham feito o mesmo. Tudo indica que sim. Afinal, quem ensinaria a Abel O ÚNICO MEIO de reparação de suas culpas perante o Criador???
Além de Abel, observam o SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS:
-  Noé  (GÊNESIS 8: 20-22);
- Abraão  (15: 9-21);
- Jacob (XYZ);
- Moisés  (TORAH, Livro do Êxodo 24: 6-8 / Levítico 8: 14-15).
E até quando isso ocorreu?
Até que aquele mesmo SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS fosse estabelecido e se tornasse PARTE INTEGRANTE DA LEI. É o que consta do Livro de Levítico e com detalhadas instruções.
P. ex.:
"Se alguém pecar, fazendo o que é proibido em qualquer dos mandamentos do Senhor, ainda que não o saiba, será culpado e sofrerá as conseqüências da sua iniqüidade.
Do rebanho ele trará ao sacerdote um carneiro, sem defeito e devidamente avaliado, como oferta pela culpa. Assim o sacerdote fará propiciação em favor dele pelo erro que cometeu sem intenção, e ele será perdoado.
É oferta pela culpa, pois com certeza tornou-se culpado perante o Senhor".
(LEVÍTICO 5: 17-19)
Nota:
Até dos pecados cometidos sem intenção ou inconscientemente era requerida sua reparação, através dos sacrifícios. E estes, oferecidos diária e anualmente.
E vigoraram até quando?
Até a vinda do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!". Palavras de João Batista, no EVANGELHO DE JOÃO (1: 29).
No Evangelho, o PRINCÍPIO DA SUBSTITUIÇÃO,  com a morte de Cristo em favor dos pecadores, foi testemunhado.
E cabe, ainda, ressaltar: a religiosidade de um judeu NÃO se constituía apenas da guarda dos Madamentos. A observação do Sistema de SACRIFÍCIOS era parte integrante da mesma.
.
ii - O PRINCÍPIO DA SANTIDADE DE DEUS.
Deus é santo. Ele assim o disse e mais: também requer que o sejamos (LEVÍTICO 19:2 / 1 Pedro 1: 16).
Por este princípio sabemos da culpabilidade de todo ser humano perante ao Criador.
Como assim?
Nem mesmo os homens considerados OS MAIS JUSTOS (ou íntegros) do Antigo Testamento O  adoraram, sem a observância do Sistema de Sacrifícios Substitutivos.
- MOISÉS E SAMUEL são citados por Deus, no Livro do Profeta Jeremias 15:1. E não puderam ousar aproximar-se de Dele, senão através da referida forma de culto (TORAH / 1 1 SAMUEL15).
- NOÉ, JOB E DANIEL são mencionados por Deus, no Livro do Profeta Ezequiel 14: 19-20. Noé  (TORAH) e Job (LIVRO DE JOB) ofereciam sacrifícios substitutos. Já Daniel, estando cativo em Babilônia e o Templo de Salomão em ruínas, orava na hora do sacrifício da tarde  (DANIEL 9: 20-21)
Aqui, então, cabem algumas IMPORTANTES PERGUNTAS:
.
A)  O sangue dos animais sacrificados tinha mesmo o poder de perdoar?
R - Sim e não.
O perdão vem de Deus. E aquele era O ÚNICO MEIO  por Ele mesmo estabelecido. Desde o princípio do mundo; e, depois, na TORAH  (Livro de Levítico).
O perdão e, consequentemente, a aceitação diante de Deus vinha por um ATO DE FÉ. E, principalmente, pelo o que cada sacrifício representava.
.
B) E o quê, precisamente??
Um ATO SIMBÓLICO E PROFÉTICO do que viria fazer o Messias.
- NÃO É SEM CAUSA que Jesus foi apontado por João Batista como "o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!"
 (JOÃO 1: 29 e 36).
- NÃO É SEM CAUSA que já estava escrito no LIVRO DO PROFETA, cerca de 750 antes, sobre Jesus:
.
"Verdadeiramente ELE tomou sobre si as nossas enfermidades, e as NOSSAS DORES LEVOU SOBRE SI; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele FOI FERIDO POR CAUSA DAS NOSSAS TRANSGRESSÕES, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas O SENHOR FEZ CAIR SOBRE ELE A INIQUIDADE DE NÓS TODOS." (53: 4-6)
- E NEM É  SEM CAUSA que primeiro africano convertido, individualmente, à fé cristã foi através de Isaías 53. O evangelista Felipe o fez saber de que se tratava de uma referência à pessoa e ao SACRIFÍCIO SUBSTITUTIVO DE JESUS  (Livro dos Atos dos Apóstolos 8).
E como Jesus mesmo já previra, quando da  INSTITUIÇÃO DO NOVO TESTAMENTO:
.
"Este é o cálice da Nova Aliança  (TESTAMENTO, CONCERTO) no meu sangue derramado em favor de vós."
(EVANGELHO DE LUCAS 22: 20)
Nota:
Cabe, aqui, lembrar que Deus, na INSTITUIÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO  (Aliança,  Concerto), a fez com sangue. Pois Moisés foi instruído não apenas a lavrar as PEDRAS DA LEI ou com os Dez Mandamentos. Mas, também instituir a Antiga Aliança na observação do Sistema de SACRIFÍCIOS substitutivos:
.
"Então, tomou Moisés aquele sangue, e o aspergiu sobre o povo e disse, e disse: EIS AQUI O SANGUE DA ALIANÇA que o Senhor fez convosco de todas estas palavras."
(TORAH,  Êxodo 25:8)
.
C)  E por que, finalmente, os sacrifícios apontavam simbólica e profeticamente pra a morte redentora de Jesus?
R - Pelo fato Dele ser Deus.
.
iv - O versículo com o qual abrimos esta seção o que diz?
O Espírito Santo constituíra bispos na igreja de Deus; a qual ele comprou (Resgatou.) com o seu próprio sangue.
E posto no seu primeiro CONTEXTO, o parágrafo, o versículo não faz referência direta a Jesus. E, então, QUEM comprou a igreja  (No caso, os crentes.), e com o seu próprio sangue, no verso bíblico??
O Espírito ou o Pai, gramaticalmente falando. Porém, teologicamente, ambos.
E por quê???
- Possuem a mesma e única IDENTIDADE: DEUS.
- São assim LITERALMENTE CHAMADOS nas Escrituras bíblicas.
- E O MESMO PODEMOS DIZER DE JESUS. Além do fato de um mero ser humano não poder morrer nem para a salvação de si mesmo.
Como assim???
- Primeiro, porque Deus jamais aceitou sacrifícios humanos.
- Daí que o pecador se apresentava diante Dele com o substituto.
- Os substitutos, no seu caráter simbólico e profético, pertencem à última escala das criaturas: são animais.
- Já o substituto dos pecadores, na realidade teológica, pertence à primeira escala dos seres: é Deus.
- Entre aqueles dois representantes fica o ser humano. E, este, nada podendo fazer por si  Senão, num ato de fé, apresentar o substituto.
- Homens morreram por seus pecados no Antigo e no Novo Testamento?
Sim.
Morreram condenados pelos seus (mau) feitos. E não para a salvação de si mesmos. E muito menos para a salvação de outros. A morte deles foi seguida da condenação ao Inferno de fogo (LUCAS 16).
.
v - O PRINCÍPIO DA INCULPABILIDADE DO SUBSTITUTO:
Dos animais, apresentados como substitutos, a Lei de Moisés exigia: fossem sem defeito.
E não era sem causa: a SITUAÇÃO dos mesmos apontava, simbólica e profeticamente, para a  CONDIÇÃO de Jesus: imaculado.
Como está escrito:
.
"Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
Mas com o precioso SANGUE DE CRISTO, como de um CORDEIRO IMACULADO e incontaminado,
O qual, na verdade, em outro tempo foi CONHECIDO, AINDA ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;"
(PRIMEIRA CARTA DE PEDRO 1:18-20)
.

- Os substitutos sempre foram inculpáveis. Do início ao fim do SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS. E nessa categoria não encontramos homem algum. Eis aí outra evidência da Deidade de Cristo.
Tal como ATOS 20:28 afirma que Deus  (Pai) e/ou Espírito resgataram a igreja com o seu próprio sangue, o que diz Jesus?
Que Ele viera para dar a sua vida em resgate de muitos (EVANGELHO MARCOS 10: 45).
Então, um mesmo ato (E no caso, o GRANDE ATO da Redenção!) é atribuído ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. E mais: com o sacrifício de Si mesmos; ou seja, com o seu próprio sangue  (ATOS 20:28)
.
vi - COMO ENTENDER isso?
- Paulo diz que "DEUS ESTAVA EM CRISTO reconciliando consigo mesmo o mundo" (2 CORINTIOS 5: 19).
- O autor da CARTA AOS HEBREUS foi categórico ao afirmar:
 .
"Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne,
Quanto mais o sangue de CRISTO, que PELO ESPÍRITO ETERNO SE OFERECEU a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?" ( 9: 13,14)
 .
O derramamento do sangue do substituto foi a condição para o perdão, desde o início do mundo.
Todavia, uma pessoa somente pode perdoar àqueles que a ofenderam.
P. EX.:
Se alguém ofender a minha filha, eu posso até tomar a ofensa por ela e querer vingança. Todavia, eu não poderia perdoar a quem a ofendeu, em seu lugar. Visto não ser eu a parte  (diretamente) ofendida.
E para ser a PARTE DIRETAMENTE OFENDIDA eu precisava ser ela, ou seja, ter a sua identidade.
Até aqui estamos lidando apenas com criaturas.
A situação muda radicalmente, quando se trata de Deus.
E por quê?
Ele é a parte mais diretamente ofendida pelos pecados de todos os homens. Em outras palavras: todos os  pecados são praticados primeira e principalmente contra Deus.
SALMO 51(4):
"Pequei contra ti,
contra a ti somente,
e fiz o que é mau
perante os teus olhos,
de maneira que serás tido
por justo no teu falar
e puro no teu julgar."
Notas:
A motivação destas palavras e todo o SALMO  foi um dos crimes mais    hediondos cometidos contra um ser humano.
O rei Davi cometeu adultério com a esposa de  um dos soldados da sua confiança, inclusive herói de guerra. A mulher  engravidou-se e Davi chamou o marido de volta do campo de batalha. Deu-lhe folga, com a intenção de que o mesmo se deitasse com sua esposa. E, sendo assim, ao marido traido seria  atribuída àquela gravidez.
Urias, porém, no seu denodo, recusou-se a gozar das férias, estando o exército de Israel em batalha.
Então, o que fez Davi?
Escreveu e selou uma carta e a mandou ao comandante do exército.
E, nela, as instruções para que o comandante pusesse Urias na linha de frente, onde teria a facilidade de ser ferido.
E a carta foi enviada através do próprio Urias, que não a violou...
Urias acabou morrendo em combate; e Davi mais a adúltera,  pensaram terem se safado da desconcertante situação.
Até o rei ser repreendido pelo profeta Natan; e o Espírito Santo o conduzir ao arrependimento. E, por isso, escreveu:
"Pequei contra ti,
contra a ti somente,
e fiz o que é mau
perante os teus olhos,
de maneira que serás tido
por justo no teu falar
e puro no teu julgar."
.
E o que tais palavras deixam em EVIDÊNCIA?
Deus é a parte primeira e principalmente ofendida pelos pecados de Davi.
Mas ele não adulterou com Bate-Seba?
Não tentou ludibriar Urias??
E, não podendo ludibriar Urias, forjou a morte deste???
Sim. Mas, confrontado pelo Espírito da santidade de Deus, disse "contra ti somente pequei".
E por quê?
Não há como atingir injustamente a criatura, sem primeiro e principalmente atingir o Criador.
A história está registrada no capítulo 12 do SEGUNDO LIVRO DO PROFETA SAMUEL.
Deus perdoou Davi pelo pecado dele e Bate-Seba contra Urias e contra a criança que viria a nascer. Esta, viveu apenas sete dias e não teve como perdoar os pais. Assim como Urias, que morreu sem saber da trama.
O que aprendemos, então?
Deus pode perdoar os pecados de todos os homens. Ainda que alguns não perdoem as ofensas cometidas contra si.
.
vii - Agora que sabemos do ÚNICO MEIO de se obter a Redenção   (Perdão  e aceitação por parte de Deus.), ficam duas perguntas.
.
- DE ONDE VINHA A  AUTORIDADE DE JESUS  PARA PERDOAR PECADOS?
Ex. 01:
" E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, tem bom ânimo, perdoados te são os teus pecados.
E eis que alguns dos escribas diziam entre si: Ele blasfema.
Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse: Por que pensais mal em vossos corações?
Pois, qual é mais fácil? dizer: Perdoados te são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te e anda?
Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados (disse então ao paralítico): Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa.
E, levantando-se, foi para sua casa."
(EVANGELHO DE MATEUS 9:2-7)
.
Ex. 02:
" Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito, e anda?
E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão.
Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior.
E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara."
(EVANGELHO DE JOÃO 5:12-15)
Notas:
No primeiro texto, Jesus põe em EVIDÊNCIA sua autoridade, curando o paralítico.
No segundo, fica evidente que a doença do outro paralítico se dera em consequência de pecado por ele cometido. E, obviamente, a cura em virtude do perdão de pecados aos quais ele não deveria mais voltar.
Mas, o que ambos fizeram contra Jesus???
Aparentemente, nada. E se fosse exatamente assim, Jesus não lhe ofereceria o perdão de modo geral e irrestrito. Ou seja, de todos os seus pecados cometidos.
Conclusão: a autoridade de Jesus vinha do fato Dele ser Deus. E a parte primeira e principalmente ofendida pelos atos daqueles dois homens.
.
2 - E POR QUE O ÚNICO PECADO IMPERDOÁVEL É A BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO SANTO?
Ex.:
"Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro."
(EVANGELHO DE MATEUS 12: 31-32)
Nota:
O Espírito Santo, demonstramos no início deste artigo, não é uma força; mas, um ser: Deus  (ATOS 5:34)
A uma força não se ofende. E nem ela ficaria ofendida pela ação e palavras humanas.
Jesus falou que palavras contra Ele, Jesus, até poderiam ser perdoadas. Afinal, Ele Jesus, além de crucificado, seria injuriado para o cumprimento das Escrituras.
Mas...
se alguém blasfemasse ou preferisse palavras frívolas contra o Espírito Santo? Simplificando ao máximo: contra as ações do Espírito Santo, através de Jesus? Não obteria perdão. E aqui, cabe lembrar:  Jesus não foi à Cruz sozinho.
- "Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo", disse o Espírito através de Paulo  (2 CORINTIOS 5: 19)
- E o autor da CARTA AOS HEBREUS (9:14), que "Jesus, pelo Espírito eterno, se ofereceu" (À CRUZ).
 A AUTORIDADE pra perdoar os pecados, de todos aqueles que se arrependem, óbvio, vem de um fato: Deus ser a parte primeira e principalmente pelos mesmos ofendida.
Já  A EFICÁCIA do sacrifício para o perdão dos pecados vem de quem se ofereceu, em favor dos pecadores: Deus.
Simplificando:
- OS ANIMAIS sacrificados, desde o princípio da Criação  (Abel.) até a vinda do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!", funcionaram apenas como SÍMBOLOS de um ATO PROFÉTICO.
- OS PECADORES não podiam oferecerem-se a Deus nem pela sua própria salvação. Muito menos pela de outros. Ainda que pudessem morrer por  seus (maus) feitos.
Portanto, somente poderiam mostrar a Deus o substituto.
- Jesus, se fosse apenas um mero mortal, mesmo tendo sido imaculado, salvaria somente a Si mesmo.
E como ficaria a situação dos demais homens, não imaculados, pecadores???
Na TOTAL DEPENDÊNCIA de um Deus que os amasse. E fosse à Cruz pelos seus pecados.
Isto é a Bíblia: do início ao fim.
Saibam nos seus pormenores, abrindo o link do artigo SENDO DEUS  JESUS  À CRUZ...
.
4 - QUAIS OS PRINCIPAIS CONCEITOS SOBRE DEUS
(Nas Religiões Monoteístas Ou Ditas Monoteístas)?
.
i – UNITARISMO (OU UNITARIANISMO).
Nega a deidade de Jesus Cristo e do Espírito Santo (a quem define não como um ser, mas como uma força), reconhecendo tão somente o Pai.
Trata-se, portanto, de uma doutrina que não se fundamenta no testemunho dos profetas e dos apóstolos; embora hoje defendida por determina7do grupo religioso e pessoas que se dizem cristãos.
.
ii – UNICISMO.
Pode ser dividido em dois: o Unicismo cristão, também conhecido por Modalismo ou Sabelianismo, e o Unicismo islâmico.
.
- Unicismo Cristão: Surgiu por volta do ano 260 d.C., sendo tal ensinamento defendido por um teólogo chamado Sabélius.
Em termos essenciais, tal corrente teológica afirma o seguinte: Jesus é o Pai e o Espírito Santo; de modo que NÃO existem três pessoas, mas apenas uma, Deus. E este teria se manifestado COMO o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Exemplificando: para Sabélius Pai, Filho e Espírito Santo seriam “modos”, “aspectos” ou “formas” comunicantes do único Deus, assim percebidos pelos crentes.
O pensamento sabeliano, segundo os mais entendidos, alimenta-se do Paganismo grego, inclusive das teses de Euclides e Aristóteles. Mas o que mais interessa a essa réplica é o seguinte: fica evidente a influência do Gnosticismo docentista na doutrina sabeliana. De forma que aquilo que se parece, não é: torna-se no máximo uma “manifestação” de Deus. Ora, uma leitura do Novo Testamento por essa ótica (principalmente os escritos de João) transforma fatos bíblicos (Por exemplo, o batismo de Jesus, a Sua transfiguração e a visão de Estevão, quando de seu martírio.) num grande teatro.
.
- Unicismo Islâmico:
Teologicamente é o mais pobre de todos. Limita-se em afirmar o óbvio: que Deus é um e único (e a Bíblia nunca disse o contrário.). E, depois, confunde o que seja o conceito bíblico de um Deus plural como uma pluralidade de deuses. Coisa que a Bíblia, nenhum dos apóstolos e profetas e nem mesmo o Credo Niceno afirmam.
..
iii – TRINITARIANISMO:  Deus é um e único, mas existe, desde sempre em (O que não quer dizer como.) três pessoas: Pai,  Filho e Espírito Santo. Enquanto o Unicismo cristão acredita num só Deus e no que seriam as Suas três manifestações (modos de ser percebido pelo crente), o Trinitarianismo crê em um e único Deus (a divindade), existente (ou coexistente) em três pessoas. Até porque, conforme já provamos à exaustão, nesta obra, ao Pai, ao Filho e ao Espírito são atribuídos os mesmos atos e atributos deídicos. E as Escrituras não podem mentir.
A primeira formulação doutrinária deste conceito bíblico de Deus, embora espontânea, aparece no Credo Apostólico. E como já dissemos, trata-se de uma confissão de fé cristã, trinitariana na sua estrutura. Quando, no século III, foi formulado o Unicismo sabeliano, este foi logicamente refutado pelas igrejas de tradição apostólica. Os dois ensinamentos transformaram-se em correntes teológicas; e ambas, defendidas e divulgadas nos tempos pós-apostólicos e pré-Catolicismo. Observamos, portanto, que estas correntes, e até o mesmo o Unitarismo (influenciado por grupos ebionistas) antecedem ao Catolicismo.
A corrente que se tornaria preponderante foi a trinitariana; até porque o Catolicismo a adotou. Mas o simples fato do Catolicismo tê-la adotado NÃO significa que a tenha originariamente concebido; e que, por isso também, a confissão precisa estar (essencialmente) incorreta. Quem tem de atestar a correção ou não de qualquer ensinamento ou filosofia são as Escrituras."
Extraído de
RESPOSTA AO ISLÃ (O Que Todo Cristão Precisa Saber Sobre O Islamismo & Sobre A Sua Própria Fé) - Vol. 03.
LINK:
http://missaoimpactar.blogspot.com/2014/10/resposta-ao-isla-vol-03-sobre-doutrina.html?m=1
.
Nota Importante:
Embora o Islam seja citado como religião monoteísta, sabe que tal fato não corresponde à verdade. Biblicamente falando, o Allah corânico NÃO é o mesmo Deus das Escrituras bíblicas. Não sendo, portanto, Maomé profeta do Deus verdadeiro e nem o Alcorão a palavra Dele.
.
5 - O QUE DIZER SOBRE OS PRINCIPAIS CONCEITOS DE DEUS NAS RELIGIÕES MONOTEÍSTAS??
.
i - Tanto o Unitarismo quanto o Unicismo islâmico so essencialmente anti-cristãos.
O primeiro quer fazer de Jesus Cristo uma espécie de mestre-de-obra do universo e (Pasmem-se!) a primeira e mais importante criatura; à qual, o Pai teria oferecido pela nossa Redenção.
Ora, nesse caso:
A) É negado o testemunho bíblico quanto a deidade de Jesus Cristo;
B) Deus se torna um ser injusto, por fazer a Redenção não através de Si mesmo, mas de um outro, tirando literalmente o corpo fora; e...
C) O Unitarismo ignora que autoridade de Jesus para perdoar pecados (Em sentido geral e irrestrito, desde que, óbvio haja arrependimento e fé.) vem do fato Dele ser a parte primeiramente ofendida pelos mesmos (Salmo 51: 1-4).
.
ii - Já o (dito) Unicismo islâmico, além de negar o testemunho bíblico sobre a deidade de Jesus Cristo, quer negar também a Redenção. Em termos estritamente bíblicos, somente Deus poderia fazê-la: justamente por ser Ele a parte primeiramente ofendida pelo pecado humano. Além disso, a santidade e a  justiça do Pai jamais aceitaria que alguma simples criatura a fizesse. De modo que o ato redentor, ao contrário de um gesto do supremo amor, viesse a ganhar uma conotação de sadismo e injustiça.
O Pai NÃO se fez injusto para com o Filho, oferecendo-O pelos pecadores; pelo contrário o Filho, sendo Deus, ofereceu-Se a si mesmo, ato também atribuído ao Espírito Santo (Atos 20: 28 em conformação com Hebreus 9: 13-14). E não é sem causa que o Deus triúno afirma categoricamente, na Sua Palavra, quanto  a primeira e à segunda vinda de Jesus Cristo a este mundo:
.
- "Vejam, eu enviarei o meu mensageiro (JOÃO BATISTA), que preparará o caminho diante de mim (JESUS CRISTO). E então, de repente, o Senhor (DEUS) que vocês buscam virá para o seu templo (JERUSALÉM), o mensageiro da aliança, aquele que vocês desejam, virá", diz o Senhor dos Exércitos."  Malaquias 3: 10
.
- "E (Ederramarei sobre a família de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém um espírito de ação de graças e de súplicas. Olharão para mim (JESUS CRISTO), aquele a quem traspassaram, e chorarão por ele como quem chora a perda de um filho único, e lamentarão amargamente por ele como quem lamenta a perda do filho mais velho." Zacarias 12: 10
.
iii  - O Unicismo cristão e o Trinitarianismo não são anti-cristãos, mas divergem quanto à concepção bíblica de Deus. Não é para menos. Pelo que vimos até aqui, o primeiro surge no século III; já o segundo, remonta-se à confissão pública da fé apostólica, quando do Batismo. Se quanto à deidade de Jesus Cristo e à Redenção, o Unicismo cristão permanece na doutrina apostólica; no que diz respeito à Doutrina de Deus, vai além. Procura explicações fora das Escrituras para a compreensão de um mistério revelado:
(...).
EM TERMOS DE CONCLUSÃO: Somente na acepção trinitariana o Deus bíblico pode ser:
i -  Deus (O Pai.) para nós.
ii - E,  ao mesmo tempo, Deus (O Filho) conosco:
"E eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos"
(MATEUS 28: 20)
.
iii - E tudo isso, sem, ao mesmo tempo, deixar de ser Deus em nós (Na pessoa do Espírito Santo). Trata-se de um fato, como é a própria experiência cristã. E jamais, a simples representação ou forma manifesta de algo impalpável.
E, nas PALAVRAS DE JESUS, a respeito do Espírito Santo, isso fica muito evidente:
.
"O Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê (O PAI); mas, vós o conheceis, porque ele habita convosco  (JESUS) e estará em vós  (O ESPÍRITO)."  (JOÃO 14:14)
.
Pode, num primeiro momento e aparentemente, para os desinformados (Como Maomé) ou para os intencionalmente mal informados (militantes do Islã moderno), trazer a conotação de uma pluralidade de deuses. Mas, não:  trata-se apenas de um fato bíblico.  Deus é um e único; todavia, o Todo-Poderoso se revelou, de fato e verdade (E não por simples manifestações sabelianas) como um ser plural. Do princípio ao fim das Escrituras bíblicas.
Nota:
Extraído de RESPOSTA AO ISLÃ - Vol. 03.
.
6 - ENTÃO QUAL O (VERDADEIRO) CONCEITO BÍBLICO DE DEUS?
E Como Dizê-lo, Simplificando Ao Máximo???
.
i - Ele é UM E ÚNICO (Marcos 12: 29/ Deuteronômio 6: 4-5):
-  “Respondeu Jesus: "O mais importante é este: ‘Ouve, ó Israel, o Senhor, o nosso Deus, o Senhor é o único Senhor.”
Nota:
Esta unicidade diz respeito à essência ou substância, à identidade única do ser Deus.
.
ii  -  ELE É ESPÍRITO (E o Espírito Santo.):
- II CORÍNTIOS 3: 15-17:
“De fato, até o dia de hoje, quando Moisés é lido, um véu cobre os seus corações. Mas quando alguém se converte ao Senhor, o véu é retirado. Ora, o Senhor (JESUS) é o Espírito (SANTO) e, onde está o Espírito do Senhor (DEUS) ali há liberdade.”
.
iii  -  E DEVE SER  ENTENDIDO COM UM SER ÚNICO; TODAVIA,  PLURAL NAS SUAS MANIFESTAÇÕES  (PARA A REVELAÇÃO DE SI MESMO AOS HOMENS).
.
E justamente o contrário de uma pluralidade de deuses, como supôs o desinformado Maomé.
.
- ATOS DOS APÓSTOLOS 20: 28:
“Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue.”
Nota:
Tenho uma máxima: para se conhecer uma doutrina, é preciso recorrer a todas as passagens bíblicas que a ela façam (direta e indiretamente) referência e encontrar para cada uma a sua melhor interpretação. Mas, para desmascarar um conceito ou ensinamento errôneo, não precisa, às vezes, de tanta Teologia: um ou dois versículos bastam.
O ultimo texto transcrito NÃO está falando diretamente de Jesus, o qual NEM é citado no parágrafo, que vai do verso 28 ao 31. Quem é citado diretamente é o Espírito Santo e textualmente o Pai. E a quem, então, se atribuir o ato de comprar a igreja com o Seu próprio sangue?
Ao Pai, ou ao Espírito??
Ou a ambos???
Em verdade, conforme já o demonstramos, a Redenção já existia no propósito divino antes mesmo que o mundo fosse criado (Efésios 2: 10; I Pedro 1: 18-21; Apocalipse 13: 7-8, etc.). Deus, na Sua presciência, já sabia da rebelião satânica e da Queda do homem. E a Redenção é um ato atribuído ao Pai (João 3: 16-17), ao Filho e ao Espírito (Hebreus 9: 13-14 e II Coríntios 5: 18-19).
Resumindo: uma ação do Deus triúno. Até porque, Ele é o Todo-Poderoso, atributo com o qual Jesus Cristo a Si mesmo se identifica (Apocalipse 1: 8).
Precisa dizer mais?
.

7 - SOBRE ALGUNS TERMOS & EXPRESSÕES BÍBLICOS.
- Os Termos Unigênito,  Primogênito da Criação, Primogênito dentre os mortos, Filho do Homem & O Filho de Deus NEGAM A DEIDADE DE JESUS?
- E AS FALA DE CRISTO, quando na condição humana: "O Pai é o maior do que eu", "De mim mesmo nada posso fazer", "Aquele dia e hora ninguém sabe; nem os anjos do céu, nem o Filho, senão o Pai"??
NEGARIAM A DEIDADE DE CRISTO???


 – ALGUNS TERMOS & EXPRESSÕES & O SEU CONCEITO:

i  -  O Criador (EVANGELHO DE JOÃO 1:1-3) não pode ser criatura. Criaturas não criam outros seres e nem o universo na Bíblia; apenas Deus.
- “No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus.
Ela estava com Deus no princípio.
Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito.”
.
ii  - O Pai da Eternidade (ou Eterno) e Deus-Forte (Todo-Poderoso), segundo o LIVRO DO PROFETA ISAÍAS 9:6,  não poderia sê-lo, sendo uma criatura apenas. O sentido de Eternidade e o atributo da onipotência somente são aplicáveis a Deus. Pois isso implica, no sentido do termo Eterno, o existir desde e para todo o sempre.
-“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”
.
iii  -  A expressão "Hoje te gerei" 
(SALMOS E CARTA AOS HEBREUS) não diz respeito a uma suposta criação de Jesus, mas, sim, à ressurreição de Cristo, conforme LIVRO DE ATOS 13:32-33. Logo, aplica-se primariamente à GERAÇÃO DO CORPO RESSURRETO E GLORIFICADO de Jesus, o primeiro de uma nova criação (unindo a Deidade à humanidade, num corpo glorificado).
DEMONSTRAÇÃO:
- "Nós lhes anunciamos as boas novas: o que Deus prometeu a nossos antepassados
ele cumpriu para nós, seus filhos, ressuscitando Jesus, como está escrito no Salmo segundo: ‘Tu és meu filho; eu hoje te gerei’.
-
O fato de que Deus o ressuscitou dos mortos, para que nunca entrasse em decomposição, é declarado nestas palavras: ‘Eu lhes dou as santas e fiéis bênçãos prometidas a Davi’.
Assim ele diz noutra passagem: ‘Não permitirás que o teu Santo sofra decomposição’.
"Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua geração, adormeceu, foi sepultado com os seus antepassados e seu corpo se decompôs.”

(LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 13: 32-33)
.
iv  -  A expressão "PRINCÍPIO da criação de Deus" não significa primeira criatura, mas, ORIGEM de toda a Criação. E a origem de toda criação é Deus e jamais uma criatura. Ser criatura implica em ter uma origem. E é preciso entender uma mesma palavra na Bíblia tem vários significados. Alguns aplicados a criaturas e outros somente a Deus, como é o caso de LIVRO DO APOCALIPSE 3:14:
- “E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” .
.
v - A expressão PRIMOGÊNITO (dentre os mortos ou dentre muitos irmãos)  indica que Ele, após a ressurreição, tornou-se o primeiro a vencer a morte e ressuscitar para não mais morrer. Assim como os cristãos  irão ressuscitar e não mais morrer.
Está em evidência a RESSURREIÇÃO NUM CORPO GLORIFICADO (Como os dos anjos, e que aparecia e sumia, atravessava paredes, porém, comia normalmente, etc. ) E JAMAIS UMA SUPOSTA CRIAÇÃO DE JESUS. Nesse sentido, Ele que já existia como o PAI ETERNO (Isaías 9:6), apenas tornou-se, melhor: adquiriu, a forma que os humanos terão (corpos celestiais) na Eternidade.
.
- “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.”
(CARTA  AOS  COLOSSENSES 1:18)
Nota:
Antes do termo ligado à Redenção (Primogênito dentre os mortos), vem o termo ligado à Criação (Ele é o princípio.). E não há tal possibilidade de ser, não sendo o próprio Deus.
.
vi  -  A expressão PRIMOGÊNITO, quando ou não empregada de entre muitos irmãos ou dentre os mortos e, sobre tudo, da Criação (CARTA  AOS COLOSSENSES 1:15),  jamais significou  a suposta criação de um ser que é, na Bíblia, ETERNO (Existe desde e para todo o sempre.).  Antes, AQUELE QUE TEM A PRIMAZIA. Exatamente por ser quem é: Deus.
Como está escrito, “para que em tudo tenha a preeminência”  (1:18), ou seja a primazia.
 .
vii – Sobre a expressão UNIGÊNITO:
- “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.”
(EVANGELHO DE JOÃO 1:18)
Nota:
"O termo 'unigênito' não significa que Cristo foi um ser criado. Pelo contrário, é DECLARAÇÃO, refere-se a um relacionamento exclusivo com o Pai, ie, ao fato Dele ser o Filho de Deus desde a Eternidade." (Bíblia de Estudo Pentecostal, 1995, CPAD, pág. 1570.)
TANTO QUE:
i  - Os judeus consideraram ser uma blasfêmia Jesus declarar-se o O Filho de Deus, porque sabiam a implicação do fato (EVANGELHO DE JOÃO 5:18): o ser (igual a) Deus.
ii -  CARTA  AOS  FILIPENSES 2:5-11: Jesus não teve por usurpação o ser (igual a) Deus, pelo simples fato de que, ao contrário de Satanás (LIVRO DO PROFETA ISAÍAS 14:12-14), Ele jamais precisou usurpar-se a ser ... o que sempre foi: Deus. E, como Ele se identifica no Apocalipse, “O TODO-PODEROSO (que há de vir)”.
iii  - DEMONSTRAÇÃO:
- "que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; " (FILIPENSES 2:6)

ALGUMAS FALAS:

"O Pai é maior do que eu" e "Nada posso fazer de mim mesmo":

Há duas palavras-chave pra que possamos entender alguma expressões ditas por Jesus, quando de sua ENCARNAÇÃO:
A primeira diz respeito à sua CONDIÇÃO divina ou deidade. E a segunda diz respeito à CONDIÇÃO em que Ele se colocou à serviço da nossa salvação.
Paulo as definiu assim pela inspiração do Espírito:

"5 Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus,
6 que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se;0
7 mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.
8 E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!
9 Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome,
10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra,
11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai."
(CARTA AOS FILIPENSES 2)
Nota:
A CONDIÇÃO de Jesus: Deus. E como eu já disse: sendo Deus, Ele não precisava usurpar o que era. A POSIÇÃO em que Ele se colocou: servo. E mesmo nessa condição, temporariamente, Ele fez o que somente, desde sempre e para sempre, pode fazer: salvar os pecadores com o sacrifício de Si mesmo:

"Porque nem mesmo o Filho do Homem veio para ser servido, mas, para servir e dar a sua vida em resgate (SALVAÇÃO) de muitos."
EVANGELHO DE MARCOS 10:45)
Nota:
Ou como o Senhor diz em LUCAS 19:20: "O Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido". E, considerando que somente Deus salva, já nem seria preciso dizer mais nada. 
E quanto ao preço, cabe enfatizar: o único sacrifício perfeito, e totalmente aceitável para a justiça e a santidade de Deus, foi o de Jesus. Os demais, oferecidos desde o início do mundo, a começar com Abel (TORAH, Livro de Gênesis 4), tinham um único mérito: simbolizar e apontar profeticamente para (o que viria fazer) "cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!"
 (EVANGELHO DE JOÃO 1: 29 e 36).

- SOBRE O QUE JESUS DISSE
em Evangelho de Mateus 24:35:

"Mas, a respeito daquele dia hora, ninguém sabe: nem os anjos nos céus, nem o Filho, senão o Pai."
Confiram no APÊNDICE. 

.
VI - QUAIS OS BENEFÍCIOS DA FÉ  CORRETA?

1 - Permanência Na Unção & Na Doutrina dos Apóstolos.
2 - Adoração Perfeita.
3 - Ter Em Perspectiva O Verdadeiro Caráter de Deus & A Grandeza da Sua Graça.
4 - Lutar Pela Unidade da Fé.
5 - A Correta Compreensão da Doutrina Nos Permite Desfrutar de Um Melhor Relacionamento Com Deus.
6 - Possibilidade da Correta Compreensão de Termos & Passagens Bíblicas Aparentemente Difíceis.
7 - Estarmos Habilitados Para Responder Àqueles Que Nos Interrogam Sobre Os Fundamentos da Nossa Fé.
.
VII - IMPLICAÇÕES DA FÉ NÃO CORRETA:
.
1 - Não Permanecer Na Doutrina dos Apóstolos.
2 - Um Atentado Contra A Unidade da Fé (Apostólica).
3 - Ir Além Ou Ficar Aquém do Que Está Escrito.
4 - Preconizar A Idolatria Em Nível Cósmico.
5 - "Corromper" O Caráter de Deus: P. ex.: Tomando-O Por Injusto E/Ou Moralmente Imperfeito.
6 - Grave Erro Doutrinário: Desvio de Conduta Em Relação À Pessoa E À Obra de Deus.
7 - Tentar (Diminuir Ou) Roubar A Glória da Cruz.





.
LINKS
(Sobre a Sura 19:27-28):
https://www.facebook.com/groups/Biblia.Alcorao/permalink/1295735497241425/

LINK
(Sobre a Sura 9:30):
https://www.facebook.com/groups/Biblia.Alcorao/permalink/1290802437734731/

LINKS
(Sobre 75 IMPROPRIEDADES do  Alcorão e as MENTIRAS do livro sobre  (e contra) o Monoteísmo, Jesus Cristo, os judeus, os cristãos e até sobre si mesmo):
-
https://missaoimpactar.blogspot.com/2018/11/cap-13-parte-i-alcorao-apontamentos.html?m=1
-
https://missaoimpactar.blogspot.com/2018/12/cap-13-parte-ii-alcorao-apontamentos.html

LINK
:
SENDO DEUS, JESUS FOI À CRUZ. Fraqueza Ou Força, Na  Evidência de Uma Vitória Em  Nível Cósmico? 

APÊNDICE:

APÊNDICE:
SOBRE MATEUS 24:35 (Ou  Jesus ter dito, quando da Encarnação, não saber o dia e nem a hora da sua volta). 

1/ COMPREENSÃO DA CONDIÇÃO (Deidade) & DA POSIÇÃO (Servil) EM QUE JESUS SE COLOCOU:

1 - SÓ PODE ser Deus em essência, quem possui a mesma e única identidade: Deus. Nesse caso, não há maior ou menor em essência de ser ou do ser Deus.
É isso que João diz em 5:18 e explica por que os judeus mataram o Messias.
Eles sabiam quem era o Messias, mas, recusavam a  reconhecer Jesus Cristo como tal.

"17 E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.
18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, FAZENDO-SE IGUAL a Deus."
(EVANGELHO DE JOÃO 5)

2 - O fato de Jesus ser Deus em essência, ou possuir esta mesma identidade, não O impediu de se colocar na condição de servo. E para quê?
Operar a nossa salvação! 
Mas, só Deus salva!
Logo, se pôr na condição de servo em nada diminui a Jesus; apenas dá a dimensão do seu amor por nós. 

"45 Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate (SALVAÇÃO) de muitos."

"9 E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
10 Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido."
(LUCAS 19)

3 -  Jesus é Deus, na mesma essência do ser Deus, como é o Pai e como é o Espírito Santo:

"17 Ora, O SENHOR É O ESPÍRITO, e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade." 
18 Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor."
(2 CORINTIOS 3)

Logo, não existe Deus acima de quem de quem e do que Deus é. Até porque DEUS , na sua essência de ser, é UM. Jesus é que se fez de servo. 

.2/ SOBRE DIZER QUE ESTÁ E SER VISTO, NAS MANIFESTAÇÕES DE SUA  GLÓRIA, À DIREITA DO PAI:

1 - Sendo Jesus Deus, e Deus não tem ninguém superior a Si mesmo, Ele se pôs numa condição de servo. A POSIÇÃO de servo é de inferioridade?
Obviamente.
Jesus, na sua CONDIÇÃO divina é inferior?
Não.
Se colocar não é ser.

2 - Sobre Apocalipse: é, assim como o Filho à direita do trono, uma REPRESENTAÇÃO SIMBÓLICA.
E nesta representação Jesus é mostrado na POSIÇÃO em que se colocou. De novo: posição não é condição.
A CONDIÇÃO Deus implica em não ter ninguém superior a Si.. 

3 - E vamos, por enquanto, nos fixar em MATEUS  28, nas suas palavras, de que o Pai lhe "deu toda a autoridade no céu e na na terra".

a)  Teologicamente falando, não significa que Jesus não teria antes tal autoridade. Até porque Deus, para ser Deus, como Jesus é e um com o Pai (JOÃO 10:30), sempre teve toda a autoridade no céu e na terra. 

b) Logo, Jesus está, de novo se referindo, não a sua CONDIÇÃO, mas à POSIÇÃO em que se colocou.

c) Se formos interpretar, sem levar em conta a própria Teologia e ao pé da letra, ficaria assim:
- SE... o Pai entregou TODA AUTORIDADE NO CÉU E NA TERRA, a qual o Filho, dada a sua CONDIÇÃO não teria (antes), logo o Pai ficou sem nenhuma autoridade (no céu e na terra).
- Sendo assim, o Pai já não tem mais a autoridade transferida ao Filho. 
- Mas, teologicamente, entendemos que Jesus estava apenas voltando a sua CONDIÇÃO de exercício, juntamente com o Pai e o Espírito, da autoridade no céu e na terra que sempre teve. 


3/ RESPOSTA SOBRE MATEUS 24:36:

1 - Basta entender o que Jesus fez (ESVAZIAR-SE da sua condição divina, assumindo a posição de servo e a condição humana), para entendermos o que Jesus falou:

2 - SEGUE UMA BOA EXPLICAÇÃO:

"João 15:15 Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor

Isso pode causar uma certa estranheza, mas entenderemos melhor se perguntarmos: Enquanto esteve aqui, Jesus podia voar até a lua e voltar? A resposta é depende. Se estivermos falando dele como homem, então não podia, porque homem não voa. Mas se estivermos falando dele como Deus todo poderoso, daquele que "todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez", então ele podia se deslocar no tempo e no espaço conforme quisesse. Mas não iria querer enquanto estivesse cumprindo sua missão de servo em obediência ao Pai."

AGORA, A OBSERVAÇÃO MINHA: Servo é a POSIÇÃO que Jesus se colocou. Logo, Ele se limitou em todos os sentidos. Sendo obediente também ao Espírito incondicionalmente (MATEUS 4:1)
De volta à explicação:

"Ats 1:7 E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o pai estabeleceu pelo seu próprio poder.

Quando lemos Flp 2:7 "Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens" vemos que ele realmente "vestiu a camisa", por assim dizer, de humanidade, mas basta algumas passagens em que ele deixa "escapar" lampejos de seu poder para exclamarmos: "Oops! Mas não disse que ele "esvaziou-e a si mesmo"? Então aí nos damos conta de que todos os atributos da divindade continuavam ao seu dispor como Deus, porém ele não iria valer-se de qualquer um deles a não ser quando fosse absolutamente necessário e dentro da vontade do Pai."

3 - UMA CONCLUSÃO (TAMBÉM MINHA) :
- Estando aqui, na POSIÇÃO de servo, Ele também tomou por completo a CONDIÇÃO HUMANA.
- E, para isso, momentaneamente, Ele abriu mão dos seus ATRIBUTOS e AUTORIDADE (no céu e na terra).
- Estes atributos e autoridade Ele sempre teve e os exerceu em conjunto e no mesmo NÍVEL de autoridade com o Pai e o Espírito Santo. Até porque são um.
- E se não entendermos desta maneira, teríamos que  advogar também que:
1 - Jesus ao dizer "é me dada toda autoridade no céu e na terra",
2  - ao contrário de receber de volta o que sempre teve,  uma autoridade que  implica, para o seu exercício,  em ser  onisciente, onipresente e onipotente;
3 - teria despojado o Pai da  autoridade em questão.
Mas não é o que aconteceu.