domingo, 16 de setembro de 2018

CAP. 07 - ALCORÃO: APONTAMENTOS PARA UMA CRÍTICA INTERNA & EXTERNA

.
.
APT. 07
A QUESTÃO LIVRO COMPLETO & COMPILAÇÃO PERFEITA X  TRADIÇÕES

QUESTÃO:
O ALCORÃO É O ÚNICO LIVRO TIDO POR SAGRADO REFUTADO CONCEITUALMENTE REFUTADO PELAS PRÓPRIAS FONTES  DE INFORMAÇÃO DA RELIGIÃO. 
HAVERIA MESMO COMO O ISLAMISMO RESOLVER TAL CONTRADIÇÃO???
.
APONTAMENTOS:

I - EXTRAÍDO de 
MANUAL DEFESA DA FÉ CRISTÃ (Contra Os Ataques do ISLAMismo) - Vol. 01:
.
"SETE REFUTAÇÕES
(Ao Mito do Alcorão Perfeito & À Compilação de Zaid ibn Thabit).   
.

REFUTAÇÃO  AO ALCORÃO
(Através das próprias fontes Islâmicas de Informação) 01:
VERSOS PERDIDOS (E Como De Novo Recuperá-los???):
.
“Muitas (das passagens) do corão que foram reveladas eram conhecidas pelas pessoas que morreram no dia de Yamana... mas não eram conhecidas (por aqueles) que sobreviveram, nem foram elas escritas, nem tampouco foram coletadas por Abu Bakr, Umar ou Uthman (naquela época) , e nem sequer uma pessoa após tais homens possuíam tais documentos.”
(IBN ABI DAWUD, Kitab al-Masahif, Pág. 23).
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO
(Através das próprias fontes Islâmicas de Informação) 02:
O ALCORÃO -  APENAS UMA SOBRA DO QUE TERIA SOBREVIVIDO:
.
“Ismail ibn Ibrahim disse que Ayyub disse que Naafi disse que Ibn Umar disse: “Que nenhum de vocês diga ‘Possuo todo o corão’. Como ele conhece a inteireza do corão quando muito do corão desaparecera? Ao invés disso, ele deveria ter dito “Possuo o que do corão sobreviveu.
(AS-SUYUTI,  911d.C., “Al-itqan Fii Al-Qur’an”, Pág.524)
Nota:
Cada islâmico (Mas... Quantos?) possuía APENAS PARTES (ou sobras); e nenhum deles, a totalidade do que teria sido o Alcorão completo.
O MITO CORÂNICO do livro perfeito está aqui REFUTADO.
E pelo o que seria uma cadeia de informação (ibn Ibrahim, Ayyub, Naafi, ibn Umar), constituída por islâmicos.
Precisa dizer mais???
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO
(Através das próprias fontes Islâmicas de Informação) 03:
VERSOS CANCELADOS:
.
“Costumávamos ler um verso do corão revelado em sua conexão, mas o verso tardio foi cancelado. Eis o verso: “comunica a nosso povo, em nosso nome, o fato de que encontramos nosso Senhor e que Ele se agrada de nos e também nos alegrou”.
(SAHIH AL-BUKHARI, 870 d.C., Vol. 5:416, Pág.288).
.
Notas :
i – VEJAM O QUE DIZ  a Sura 6:34-b - HN:
- “E não há quem troque as palavras de Allah. E, com efeito, chegaram-te alguns informes dos outros mensageiros.”
Ora, as palavras do deus corânico não podem ser trocadas?
MAS... COMO, se não apenas esta tradição contradiz o Alcorão?  Ora, o próprio livro tido por sagrado pelos islâmicos se contradiz a si mesmo:
ALCORÃO, Sura 16:101 - HN:
- “E, quando trocamos um versículo por outro versículo _ e Allah é bem Sabedor do que faz descer _ eles dizem: “Tu és, apenas um forjador.”  Não. Mas maioria deles não sabe.” 
.
ii – Nas suras citadas, fala-se da  AB-ROGAÇÃO de versos corânicos, os quais seriam  as “palavras de Allah que não há quem as troque”.
Ora, que deus corânico mais INDECISO é esse??? 
Sabemos que a REVELAÇÃO BÍBLICA, da Torah ao Livro do Apocalipse, demorou cerca de 1600 anos. E nenhuma substancial alteração houve, principalmente no que diz respeito à moralidade e à conduta requeridas  dos verdadeiros monoteístas.
Na essência do Antigo Testamento estão a Lei (dada através de Moisés), O SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS, e as cerca  300 PROFECIAS ANUNCIADORAS DO MESSIAS (Jesus Cristo); sendo 25 das mesmas em torno da Sua morte e ressurreição redentoras.
Jesus,  quando veio, tornou ainda MAIS RIGOROSA A MORALIDADE, principalmente a sexual. E REDIMENSIONOU A ADORAÇÃO a Deus (que é espírito) para em “espírito e em verdade”. Ou seja: a verdadeira adoração é todos os dias; por 24 horas; através de todos os nossos gestos;  e por uma única aceitável motivação: o amor a Deus e aos semelhantes (na pessoa do próximo).
JÁ A SUPOSTA REVELAÇÃO  CORÂNICO-ISLÂMICA teria sido dada em duas décadas apenas.
E qual o nível (Baixo nível da moralidade.) da corânico-islâmica?
Pior que a dos pagãos da Bíblia, aos quais não atribui as Sagradas Escrituras perversões sexuais como a  Pedofilia e a Necrofilia, p.ex..  Na Bíblia não se aceita o abuso de mulheres; além do fato  do simples adultério ser exemplarmente corrigido.
Ora, não apenas indeciso, temos um deus corânico cuja moralidade é, em termos estritamente bíblicos, tão discutível quanto o seu caráter.
E seria isso aceitável ao Monoteísmo verdadeiro???
.
iii – BUKHARI FOI O PRINCIPAL COMPILADOR DOS HADITH.
E se há alguém que poderia avaliar uma tradição seria ele, que estava mais próximo dos fatos. E não, logicamente,  os islâmicos desinformados (ou mal intencionadamente informados) da modernidade.
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO
Através das próprias fontes Islâmicas de Informação (04):
VERSOS IGNORADOS
(E O Mesmo, Não Aconteceria A Quantos Outros?):
.
- “Khuzaimah ibn Thabit disse: “Vejo que ignoraste (dois) versos e não os escreveste”. Disseram: “E quais são eles?” Respondeu: “Eu os recebi diretamente (tilqiyya - „automaticamente, espontaneamente) do mensageiro de Allah (paz esteja sobre ele) (Sura 9, aya 128): „Veio a vos um mensageiro dentre vos mesmos. Lhe entristece que devais perecer, pois e deveras preocupado a vosso respeito: aos crentes, e ele bondoso e misericordioso, ate o fim da sura”. Uthman disse “Testifico que tais versos provem de Allah”.
(IBN ABI DAWUD, Kitab Al-Masahif “, Pág. 11).
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO (05)
Através das próprias fontes Islâmicas de Informação (05):
VERSOS ALTERADOS
(E Alguém Saberia Dizer Quais E Quantos Mais Foram???):
.
“Abu Yunus, homem livre de Aishah, Mãe dos crentes, reportou: Aishah ordenou-me que transcrevesse o Santo corão e pediu-me que lhe informasse quando chegaria ao verso Haftdhuu alaas-salaati waas-salaatiil-wustaa wa quumuu lillaahi qaanitiin (2.238). Quando cheguei ao verso, informei-a e ela ordenou-me: Escreve desta maneira, Hafidhuu alaas-salaati waas-salaatiil-wustaa wa salaatil ‘asri wa quumuu lillaahi qaanitiin. Ela então acrescentou que assim o ouvira da parte do Apostolo de Allah (que a paz esteja sobre ele).”
(MUWATTA IMAM MALIK, 795 d.C., Pág. 64).
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO
Através das próprias fontes Islâmicas de Informação (06):
SURA DE GRANDE EXTENSÃO PERDIDA:
.
- “Costumávamos recitar uma sura que se assemelhava em tamanho e em severidade a (sura) Bara’at. Eu, entretanto, a esqueci, com exceção deste trecho do qual me recordo: “Se houvessem dois vales cheios de riquezas, para o filho de Adão, teria ele desejado um terceiro vale, e nada encheria o estomago do filho de Adão, senão poeira”.
 (SAHIH MUSLIM, 875 d.C., VOL. 02, NÚMERO 2286).
Notas:
- Esta é uma Tradição atribuída a ABU MUSA AL-ASHARI.
- A sura citada possui 286 versos. Logo, são cerca de 300 versos corânicos perdidos. E o Islamismo NÃO teve mais como saber o que diziam.
.
REFUTAÇÃO AO ALCORÃO
Através das próprias fontes Islâmicas de Informação (07):
O PRÓPRIO ALCORÃO TIDO POR OFICIAL (Ou seja: as SOBRAS do Alcorão que teria permanecido até os dias de hoje). SOFREU MODIFICAÇÕES. LOGO, NENHUM FOI CONSERVADO NA SUA INTEGRIDADE.  NEM O QUE  SERIA SIDO COMPILADO POR ZAID IBN THABIT.
.
Há evidências claras em Kitab al-Masahif, de Ibn Abu Dawud, que pelo menos onze palavras foram, individualmente, modificadas pelo escriba al-Hajjaj, sob as ordens do seu califa, Abu al-Malik.
O livro possui um capítulo chamado 'Bab: Ma Ghaira al-Hajjaj fii Mushaf Uthman (Capítulo: O que foi modificado por Al-Hajjaj no texto uthmanânico)'
O capítulo começa assim
Ao todo, al-Hajjaj ibn Yusuf fez onze modificações na versão do texto Utmanico (...).
Em al-Baqarah (Sura 2.259) lia-se, originalmente, Lam yatasanna waandhur, mas foi alterado para Lam yatasannah ... Em al-Ma
ida (Sura 5.48) lia-se Shari ya’atan wa minhaajaan mas foi alterado para shir ‘atawwa minhaajaan.” (IBN ABI DAWUD, Kitab Al-Masahif, Pág.117)."
FONTE da citação:
Enfrentando O Desafio Muçulmano, de John Gilchrist .
.
Nota final:
Este e outros temas são tratados com pormenores em livros meus como RESPOSTA AO ISLà(O Que Todo Cristão Precisa Saber Sobre O Islamismo & Sobre A Sua Própria Fé) – Volume 01 e numa outra obra: A BÍBLIA & O ISLÃ: 50 PERGUNTAS (Cujas Respostas Precisam Soar Mais Alto Que O Silêncio & do Que As Contradições Corânicas).
O primeiro enfoca justamente nas Evidências Manuscritas da Bíblia (& do Alcorão), para que fique evidenciado qual dos livros deve ser reconhecido como revelação de Deus. E leva-se em conta o próprio conteúdo e a documentação histórica pelas respectivas religiões disponibilizadas. Já o segundo, enumera sérios e duros questionamentos ao que, analisado do ponto de vista das Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.), somente pode ser entendido como suposições da religião de Maomé."
II –
 "AISHAH disse:
Um homem se levantou (para a oração) à noite, ele leu o Alcorão e levantou a voz na leitura. Quando a manhã chegou, o Apóstolo de Allah (saw) disse: Que Allah tenha piedade de tal homem. Ontem à noite ele me lembrou  vários versos que eu estava prestes a esquecer." 
 (SUNAN ABU DAWUD, Vol. 3, p. 114)
Nota:
O sentido de leitura, de acordo com o contexto da história (Ou estória?) da COMPILAÇÃO, é  recitação. E, curiosamente, estamos lidando com um profeta dado ao esquecimento das (supostas) revelações. As explicações dadas por alguns islâmicos para tal absurdo são bem mais absurdas que o relatado. Coisas do Islam... 
III - VAMOS REFLETIR? 
De um profeta dado à amnésia aos Alcorões (Em suma, o registro por escrito dos seus versos, primeiramente gravado na memória dos primeiros discípulos de Maomé.) mandados para o fogo por um de seus califas, se constitui a história (Ou estória?) da COMPILAÇÃO.

E não é que tem muçulmanos tão simplistas no seu raciocínio, ao ponto de supor (E com um inexplicável ufanismo afirmar.) que o livro, caso não fosse compilado, seria preservado justamente na memória dos seguidores do profeta do Islamismo???

 OBRAS DO AUTOR:

1 – MANUAL DEFESA DA FÉ CRISTÃ
(Contra os Ataques do ISLAMismo)  - Abril, Abril e Maio 2017
.
Vol.  01:
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2017/04/vol01-manual-defesa-da-fe-crista-contra_28.html
Vol. 02:
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2017/04/vol-02-manual-defesa-da-fe-crista_29.html
Vol. 03:
.
2 - MAOMÉ: PREDITO NA BÍBLIA?
(O Que Dizem As Sagradas Escrituras) - Abril 2016
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2016/04/livro-completo-maome-predito-na-biblia.html

- Apresentação & Índice.  (Março 2016)

3 – A BÍBLIA & O ISLÃ: 50 PERGUNTAS (Cujas Respostas Precisam Soar Mais Alto Que O Silêncio Islâmico & do Que As Contradições Corânicas) –(Dezembro 2015)

- A BÍBLIA & O ISLÃ: 50 PERGUNTAS: Introdução & Índice (Novembro 2015)
.
4 - RESPOSTA AO ISLÃ (O Que Todo Cristão Precisa Saber Sobre O Islamismo & Sobre A Sua Própria Fé).

- AOS AMANTES DA VERDADE:
Introdução a RESPOSTA AO ISLÃ - Vol. 01  (Abril 2014)

Vol. 02  (Agosto 2014):

- QUEM É JESUS & QUEM É MAOMÉ? (II): Introdução Completa a RESPOSTA AO ISLÃ - Vol. 02.  (Setembro 2014)
Vol. 03 (Outubro 2014):
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2014/10/resposta-ao-isla-vol-03-sobre-doutrina.html 

- INTRODUÇÃO Resposta Ao Islã - Vol. 03: MONOTEÍSTAS? ATÉ OS DEMÔNIOS O SÃO. É PRECISO REVELAR O CARÁTER DE DEUS.

IMPORTANTE:
Se não abrir alguns dos LINKs, copie e cole-os na página de busca do Google.





CARO LEITOR,
Atendendo às palavras de Jesus, "de graça recebestes, de graça dai", os artigos e os LIVROS DO AUTOR sobre o tema (Estes últimos num total de quatro, sendo dois em três volumes.) estarão sempre disponibilizados para leitura no blog e projeto MISSÃO IMPACTAR.
Compreendendo, porém, que a rolagem é um tanto deficitária, a obra pode ser adquirida no formato PDF (e-book), mediante oferta única de qualquer valor. Uma forma também de ajuda a este ministério.
PEDIDO e comprovação de pagamento (fotografia do extrato) para o seguinte e-mail:
m.madsaiin.ebook@gmail.com
.       
CONTA: 26620-1 - Agência 0087 - CEF (104) – Operação 013
Titular: Marcos Antonio Dias.
.
AGENDE

Palestras, testemunho (Culto de missões, etc.) e cursos, com aula semanal e duração mínima de três meses.

"Como contristados, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo."
(SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS CORÍNTIOS 6:10)

Nenhum comentário:

Postar um comentário