sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

JERUSALÉM: NA BÍBLIA (E ATÉ NO ALCORÃO) INDIVISÍVEL!

Atualizado em 29 de Novembro de 2021. 


"12 Reúnam o povo, homens, mulheres e crianças, e os estrangeiros que morarem nas suas cidades, para que ouçam e aprendam a temer o Senhor, o seu Deus, e sigam fielmente todas as palavras desta lei.

13 Os seus filhos, que não conhecem esta lei, terão que ouvi-la e aprender a temer o Senhor, o seu Deus, enquanto vocês viverem na terra da qual tomarão posse quando atravessarem o Jordão".

(TORAH, Livro de Deuteronômio 30):

Nota:

Cerca de 1450 a.C.


"Recorram ao Senhor e ao seu poder; busquem sempre a sua presença.
Lembrem-se das maravilhas que ele fez, dos seus prodígios e das sentenças de juízo que pronunciou,
ó descendentes de Abraão, seu servo, ó filhos de Jacó, seus escolhidos.
Ele é o Senhor, o nosso Deus; seus decretos são para toda a terra.
Ele se lembra para sempre da sua aliança, por mil gerações, da palavra que ordenou,
da aliança que fez com Abraão, do juramento que fez a Isaque.
Ele o confirmou como decreto a Jacó, a Israel como aliança eterna, quando disse:
"Darei a você a terra de Canaã, a herança que lhe pertence".
 (SALMO 105:4-11)


LEIA TAMBÉM:
Sete Aspectos do Ataque À Fé Cristã, Nesse Fim dos Tempos.
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2017/10/sete-aspectos-do-ataque-fe-crista-nesse.html



“Nos últimos dias acontecerá que o monte do templo do Senhor será estabelecido como o principal entre os montes; e se elevará acima das colinas, e os povos a ele acorrerão.
Muitas nações virão, dizendo: "Venham, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó. Ele nos ensinará os seus caminhos, para que andemos nas suas veredas". Pois a lei virá de Sião, a palavra do Senhor, de Jerusalém. Ele julgará entre muitos povos e resolverá contendas entre nações poderosas e distantes. Das suas espadas, farão arados, e das suas lanças, foices. Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra."    (LIVRO DO PROFETA MIQUÉIAS) 
.
Causou espécie o posicionamento do Papa católico Francisco, totalmente contrário às Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.), não reconhecendo Jerusalém capital unicamente do estado de Israel. Ainda que historicamente (Não, porém, desde a Antiguidade bíblica!)  tenha a cidade obtido o status de “sagrada para judeus, cristãos e muçulmanos do mundo inteiro”, segundo ele.
Se aquele o líder religioso como político fosse um bom teólogo e cristão, poderia fundamentar a suas opiniões e/ou convicções no referido livro . E, pelo o que está escrito entender e fazer o seu rebanho compreender, assim como o mundo inteiro, tanto o antigo quanto o futuro status não apenas da cidade, mas, de toda a nação judaica. Não foi isso  que o papa Francisco fez; deixando evidente, nesse Fim dos Tempos, o uso da religião (ou o uso da sua influência) para fins não exatamente sagrados. E o sagrado, no que diz respeito à cristandade (Ou aos ditos cristãos.), deveria ser o que se define por autenticamente bíblico. Já que não se concebe a nossa fé, digamos o Cristianismo autêntico, sem que esta esteja em total acordo com as Escrituras Sagradas. Simplificando ao máximo: de acordo com Paulo, o apóstolo (CARTA AOS EFÉSIOS 2:20), fundamentado em Jesus Cristo, segundo o ensino dos apóstolos e dos profetas. (Não do Alcorão, obviamente, mas, do Antigo Testamento).
O Papa recebeu, pelo o seu não bíblico posicionamento, os cumprimentos do presidente da Turquia. Outro líder e religioso que também parece desconhecer a escritura tida por sagrado pela sua religião. Até  mesmo o Alcorão, conforme veremos mais adiante, reconhece o território dado por Deus aos judeus, como sendo o da campanha de Moisés e Josué na antiga Canaã. E nele,  inclusa, obviamente, a cidade de Jerusalém, nos seus limites integrais. Em resumo: a disputa é política e envolve  interesses religiosos; mas, sem que as partes envolvidas ou influenciadoras queiram levar em conta (Por desinformação ou má intencionada informação???) as escrituras que têm por sagrada. Coisa desses tenebrosos Fim dos Tempos.
.
I – DA PROMESSA DA TERRA UNICAMENTE AOS JUDEUS:
.
Disse-lhe ainda: "Eu sou o Senhor, que o tirei de Ur dos caldeus para dar-lhe esta terra como herança".
Perguntou-lhe Abrão: "Ó Soberano Senhor, como posso saber que tomarei posse dela? "
Respondeu-lhe o Senhor: "Traga-me uma novilha, uma cabra e um carneiro, todos com três anos de vida, e também uma rolinha e um pombinho".
Abrão trouxe todos esses animais, cortou-os ao meio e colocou cada metade em frente à outra; as aves, porém, ele não cortou.
Nisso, aves de rapina começaram a descer sobre os cadáveres, mas Abrão as enxotava.
Ao pôr-do-sol, Abrão foi tomado de sono profundo, e eis que vieram sobre ele trevas densas e apavorantes.
Então o Senhor lhe disse: "Saiba que os seus descendentes serão estrangeiros numa terra que não lhes pertencerá, onde também serão escravizados e oprimidos por quatrocentos anos.
Mas eu castigarei a nação a quem servirão como escravos e, depois de tudo, sairão com muitos bens.
Você, porém, irá em paz a seus antepassados e será sepultado em boa velhice.
Na quarta geração, os seus descendentes voltarão para cá, porque a maldade dos amorreus ainda não atingiu a medida completa".
Depois que o sol se pôs e veio a escuridão, eis que um fogareiro esfumaçante, com uma tocha acesa, passou por entre os pedaços dos animais.
Naquele dia o Senhor fez a seguinte aliança com Abrão: "Aos seus descendentes dei esta terra, desde o ribeiro do Egito até o grande rio, o Eufrates:
a terra dos queneus, dos quenezeus, dos cadmoneus,
dos hititas, dos ferezeus, dos refains,
dos amorreus, dos cananeus, dos girgaseus e dos jebuseus"
                                           (TORAH, Livro de Gênesis 15:7-21)
Notas:
1 – Temos, nesta passagem, a primeira referência (No entanto, ainda indireta.) à Jerusalém, que era a cidade e fortaleza dos jebuseus.
2 – O território foi dado aos judeus, através da Aliança do próprio Deus com Abraão. E, nesse aspecto, nunca é demais relembrar as promessas e Alianças feitas com o patriarca. Elas contemplavam a espiritualidade e a posse do território, na época definido pelo Senhor (YHWH) Deus como “toda a terra de Canaã”. E são enfatizadas ou reafirmadas em se tratando apenas da linhagem de Abraão, através de Isaque (os judeus):
.
-  “Quando Abrão estava com noventa e nove anos de idade o Senhor lhe apareceu e disse: "Eu sou o Deus Todo-poderoso; ande segundo a minha vontade e seja íntegro.
Estabelecerei a minha aliança entre mim e você e multiplicarei muitíssimo a sua descendência". 
.
Abrão prostrou-se, rosto em terra, e Deus lhe disse:
"De minha parte, esta é a minha aliança com você. Você será o pai de muitas nações.
Não será mais chamado Abrão; seu nome será Abraão, porque eu o constituí pai de muitas nações.
Eu o tornarei extremamente prolífero; de você farei nações e de você procederão reis.
Estabelecerei a minha aliança como aliança eterna entre mim e você e os seus futuros descendentes, para ser o seu Deus e o Deus dos seus descendentes.
Toda a terra de Canaã, onde agora você é estrangeiro, darei como propriedade perpétua a você e a seus descendentes; e serei o Deus deles.
"De sua parte", disse Deus a Abraão, "guarde a minha aliança, tanto você como os seus futuros descendentes.
Esta é a minha aliança com você e com os seus descendentes, aliança que terá que ser guardada: Todos os do sexo masculino entre vocês serão circuncidados na carne.
Terão que fazer essa marca, que será o sinal da aliança entre mim e vocês.
Da sua geração em diante, todo menino de oito dias de idade entre vocês terá que ser circuncidado, tanto os nascidos em sua casa quanto os que forem comprados de estrangeiros e que não forem descendentes de vocês.
Sejam nascidos em sua casa, sejam comprados, terão que ser circuncidados. Minha aliança, marcada no corpo de vocês, será uma aliança perpétua.
Qualquer do sexo masculino que for incircunciso, que não tiver sido circuncidado, será eliminado do meio do seu povo; quebrou a minha aliança".
.
Disse também Deus a Abraão: "De agora em diante sua mulher já não se chamará Sarai; seu nome será Sara.
Eu a abençoarei e também por meio dela darei a você um filho. Sim, eu a abençoarei e dela  procederão nações e reis de povos".
Abraão prostrou-se, rosto em terra; riu-se e disse a si mesmo: "Poderá um homem de cem anos de idade gerar filhos? Poderá Sara dar à luz aos noventa anos? "
.
E Abraão disse a Deus: "Permite que Ismael seja o meu herdeiro! "
Então Deus respondeu: "Na verdade Sara, sua mulher, lhe dará um filho, e você lhe chamará Isaque. Com ele estabelecerei a minha aliança, que será aliança eterna para os seus futuros descendentes.
E no caso de Ismael, levarei em conta o seu pedido. Também o abençoarei; eu o farei prolífero e multiplicarei muito a sua descendência. Ele será pai de doze príncipes e dele farei um grande povo.
Mas a minha aliança, eu a estabelecerei com Isaque, filho que Sara lhe dará no ano que vem, por esta época".
.
Quando  terminou  de  falar com Abraão, Deus subiu e retirou-se da presença dele.”    (TORAH, Livro de Gênesis, 17:1-22)
.
2 – OS NOMES E OS LIMITES DA TERRA DA PROMESSA:

NOMES - Deus a define como “TODA A TERRA DE CANAÔ (GÊNESIS 12:5, 13:12, 17:8). E, nos tempos de Jesus, cerca de dois mil anos depois, Estévão, o primeiro mártir cristão, utiliza-se da mesma terminologia (LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 7:13), assim como o Apóstolo Paulo (13:19).
Ainda na TORAH (Livro de Gênesis, 40:15), mesmo sem ter sido feita a posse, a terra da promessa é definida por José do Egito (e no Egito) como “A TERRA DOS HEBREUS”.
Ao longo das Escrituras bíblicas, o território seria também com “TERRA DE JUDÁ”, “TERRA DE ISRAEL”, “TERRA SANTA” (Livro de Rute 1:7, Evangelho de Mateus 2:20-21) e até  mesmo alguns de seus locais definidos também como santos, caso do monte onde ocorreu a Transfiguração de Jesus Cristo, diante do seus três principais apóstolos (SEGUNDA CARTA DE PEDRO 1:16-18). 
Na Teologia bíblica, conceitua-se santo (ou sagrado) aqueles ou àquilo que foi separado, de acordo com o propósito divino, para um determinado fim. Em se tratando do referido território, e Jerusalém na sua totalidade nele inclusa, ser a possessão dos descendentes de Abraão, na linhagem de Isaque. Se o Papa dos católicos apenas levasse isso em conta, entenderia o status divino da terra, desrespeitado  pela ocupação (Outrora, milenar.) islâmica. Status desde o início, na Torah; e a ser readquirido nesse Fim dos Tempos, os quais preanunciam a segunda do Messias Jesus Cristo. É o que está profetizado nas Escrituras bíblicas; e creio que para um futuro breve. Pode até não ser nesta década, porém, neste século, mui provavelmente. (Embora, caberia sempre enfatizar, muita coisa triste com os judeus e também com os cristãos terão primeiro ainda que acontecer; e já estão ocorrendo. Some-se a isso a opinião, infeliz, para dizer o mínimo, de um líder religioso que se diz cristão.)
.
- "Naquele dia farei que os líderes de Judá sejam semelhantes a um braseiro no meio de um monte de lenha, como uma tocha incandescente entre gravetos. Eles consumirão à direita e à esquerda todos os povos ao redor, mas Jerusalém permanecerá intacta em seu lugar.”   (LIVRO DO PROFETA ZACARIAS 12:6)
.
OS LIMITES – Várias Escrituras bíblicas informam os limites do território dado por Deus aos judeus. E, obviamente que ele inclui a cidade de Jerusalém na sua inteireza, cabe incessantemente enfatizar.
Ao Norte, faz  fronteira com o Líbano e a Síria; ao Leste, com o deserto siro-arábico, na atual Jordânia. Ao Sul, o deserto do Neguebe encontra-se com o deserto sináitico (Arábia); e a Oeste, o Mar Mediterrâneo e partes do Egito. 
  A definição mais a tomada do território, intensa e gradualmente, configuraria o juízo divino contra os povos promíscuos, idólatras e violentos que ali habitavam. Algo semelhante ao que tinha ocorrido no Dilúvio e na subversão de Sodoma e Gomorra. Deus previu a Abraão, cerca de 400 anos antes de Moisés e Josué (TORAH, Livro de Gênesis 15:16). E textos bíblicos como LIVROS DE NÚMEROS, capitulo 32; DEUTERONÔMIO 3:12-20; LIVRO DE JOSUÉ 1:1-4 e 11-17 nos informam sobre o porquê e como se deu a expulsão dos cananeus.
.
3 – A CONQUISTA DE JERUSALÉM.
Jerusalém seria também conhecida como A CIDADE DE DAVI, sendo carinhosamente apelida na Bíblia de SIÃO. Não foi conquistada nas campanhas de Moisés e Josué, por ser uma cidade fortificada.
Cerca de 400 anos depois, Jebus, que depois seria renomeada JERUSALÉM, caiu na posse de Israel, conforme Deus prometera. Os jebuseus, sabendo que Davi tinha sido ungido rei de toda a nação judaica, rebelaram-se e o ofenderam. Disseram que se até os cegos e os aleijados combatessem,  caso Davi tentasse invadir a cidade-fortaleza, lograriam sucesso. Tratava-se de uma grande afronta. E Davi, num ato profético, convocou os soldados de Israel  contra Jebus dizendo que eles iriam enfrentar cegos e coxos; e que os tais eram os habitantes da cidade. As Escrituras bíblicas resumem assim a conquista:
.
Assim, pois, todos os anciãos de Israel vieram ao rei, em Hebrom; e o rei Davi fez com eles acordo em Hebrom, perante o Senhor; e ungiram a Davi rei sobre Israel.
Da idade de trinta anos era Davi quando começou a reinar; quarenta anos reinou.
Em Hebrom reinou sobre Judá sete anos e seis meses, e em Jerusalém reinou trinta e três anos sobre todo o Israel e Judá.
E partiu o rei com os seus homens a Jerusalém, contra os jebuseus que habitavam naquela terra; e falaram a Davi, dizendo: Não entrarás aqui, pois os cegos e os coxos te repelirão, querendo dizer: Não entrará Davi aqui.
Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a cidade de Davi.
Porque Davi disse naquele dia: Qualquer que ferir aos jebuseus, suba ao canal e fira aos coxos e aos cegos, a quem a alma de Davi odeia. Por isso se diz: Nem cego nem coxo entrará nesta casa.
Assim habitou Davi na fortaleza, e a chamou a cidade de Davi; e Davi foi edificando em redor, desde Milo para dentro.”

                                    (SEGUNDO LIVRO DE SAMUEL 5:3-9)   
.
Eis o status bíblico e, portanto, sagrado (Ou que pelo menos deveria ser para o o Papa dos católicos...) não apenas de Jerusalém, mas, de toda a antiga Canaã. Trata-se de um território e,  principalmente, a capital, indivisíveis. Status adquirido na Antiguidade bíblica, o qual deveria ter permanecido e que, em termos proféticos, será readquirido. E é  por isso, e não por um acomodamento a interesses outros (Ainda que em nome da paz, mas, qual, com Deus e com as Escrituras bíblicas???) que qualquer líder presumivelmente cristão deveria se pautar. 
.
4 – ATÉ O ALCORÃO RECONHECE QUE A TERRA É DOS JUDEUS. FATO QUE  TIRA TODA A LEGITIMIDADE  DA REIVINDICAÇÃO  ISLÂMICA.
.
ALCORÃO, Sura 5:20-21:
- “Recorda-lhes de quando Moisés disse ao seu povo: Ó povo meu, lembrai-vos das mercês de Deus para convosco, quando fez surgir, dentre vós, profetas, e vos fez reis e vos concedeu o que não havia concedido a nenhum dos  vossos contemporâneos.
Ó povo meu, entrai na terra Sagrada que Deus vos assinalou, e não retrocedais, porque se retrocederdes, sereis desventurados.”
Notas:
O Alcorão está recorrendo ao seu modo à Torah.  E reconhece   o  território dado ao povo de Moisés como “TERRA SAGRADA” e assinalado (Definido geograficamente). Lógico que a definição geográfica, se tratando de escrituras tidas por sagradas, encontra-se apenas na Bíblia. O Alcorão é livro um paupérrimo (E, por isso mesmo,  contestável.) em se tratando de Teologia, principalmente no que diz respeito às Escrituras tidas por sagradas por cristãos e/ou judeus. Porém, o registro corânico aí está. E depois disso já não seria preciso dizer mais nada, uma vez que tal livro, neste caso específico, concorda plena e literalmente com a Bíblia, dispensando qualquer interpretação. Todavia, isso parece irrelevante para os muçulmanos; e é bem possível que o Papa dos católicos também desconheça a informação.
.
5 – O PASSADO, O AQUI AGORA E O FUTURO DE ISRAEL, DE JERUSALÉM E DO TEMPLO.
.
Primeira Diáspora - De cerca de 1450 a.C. até a TOMADA DE JERUSALÉM  e a DESTRUIÇÃO DO TEMPLO  (70 d.C.)  pelo general romano, Tito,  ficaram os judeus (em sua maioria) exilados do seu território sagrado apenas por setenta anos. O fato se deu no CATIVEIRO  BABILÔNICO,  sendo o mesmo  juízo do Senhor (YHWH) Deus contra o Seu povo, em razão da desobediência. E tudo conforme previra Moisés e os prevenira inúmeros profetas ( DEUTERONÔMIO 28, SEGUNDO LIVRO DOS REIS 24:20-25:22, etc.). Através de Jeremias viria a sentença final (LIVRO DO PROFETA 25:1-14, 39:1-10, etc.)
Segunda Diáspora – Foi prevista por Jesus Cristo:
.
  - “Alguns dos seus discípulos estavam comentando como o templo era adornado com lindas pedras e dádivas dedicadas a Deus. Mas Jesus disse:
"Disso que vocês estão vendo, dias virão em que não ficará pedra sobre pedra; serão todas derrubadas".
(...)

Todos odiarão vocês por causa do meu nome.
Contudo, nenhum fio de cabelo da cabeça de vocês se perderá.
É perseverando que vocês obterão a vida.
"Quando virem Jerusalém rodeada de exércitos, vocês saberão que a sua devastação está próxima.
Então os que estiverem na Judéia fujam para os montes, os que estiverem na cidade saiam, e os que estiverem no campo não entrem na cidade.
Pois esses são os dias da vingança, em cumprimento de tudo o que foi escrito.
Como serão terríveis aqueles dias para as grávidas e para as que estiverem amamentando! Haverá grande aflição na terra e ira contra este povo.
Cairão pela espada e serão levados como prisioneiros para todas as nações. Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos deles se cumpram.”

                           (EVANGELHO DE LUCAS 21:5-24) 
Notas:
1 – Jesus começa tratando da QUEDA DE JERUSALÉM e a DESTRUIÇÃO DO TEMPLO. Fato ocorrido em 70 da Era Cristã, que pode ser definido como uma predição para o  futuro breve.
2 – Todavia o Seu discurso  profético, de acordo com o contexto, alcançaria  também o  futuro distante (A cada dia, nesse Fim dos Tempos, mais breve.) da  Sua SEGUNDA VINDA. E até que este fato ocorra com toda a sua amplitude cósmica  “Jerusalém será pisada pelos gentios, até que o tempo deles se compram”.  Entenda por TEMPO DOS GENTIOS o período de tempo entre a primeira e segunda vinda do Messias. E entendam: quem pisa, assenhorando-se de Jerusalém, que não seja judeus, é naquela categoria  que se enquadra e na exata expressão do termo GENTIOS!  
3 – Na iminência da  Segunda Vinda, judeus e cristãos padecerão ÓDIO DAS NAÇÕES e haverá também a  PROFANAÇÃO DO TEMPLO, templo ainda por ser reconstruído. Ele previu e a denominou, de acordo com o registrado em outros Evangelhos (Marcos e Mateus.), ABOMINÁVEL DA DESOLAÇÃO,   ABOMINAÇÃO DESSOLADORA ou SACRILÉGIO TERRÍVEL, dependendo da versão. Esta nova profanação implica não apenas no fato de Jerusalém estar dentro dos seus limites bíblicos; mas, de que o Templo também seja reerguido exatamente no seu lugar de  sempre. Mas o local está hoje em posse Islamismo, tendo  ali uma mesquita: CÚPULA ou DOMO DA ROCHA. Pode alguém imaginar as implicações políticas disso, principalmente levando-se em conta a desinformação (Ou a má intencionada informação?) dos líderes desse nosso mundo tenebroso?
Diante do resumidamente exposto, fica evidente que qualquer tentativa de fazer com que Jerusalém readquira o seu status bíblico (E futuro, conforme o previsto.) desagrade religiões não judaico-cristãs,  religiosos não judeus até mesmo cristãos não plenamente esclarecidos, como, p.ex., foi Lutero. Quem sabe em virtude da sua formação católica.
Quando em 1948 o Estado de Israel foi re-estabelecido (Na terra de Canaã, diria o próprio Deus.) começávamos a entrar no final do Fim dos Tempos. Pois os judeus, Jerusalém e o Templo voltarão para o seu próprio lugar. E, como resultado, isso atrairá o ódio de muitas nações, culminando com um novo cerco a Jerusalém, disparatado pela intervenção do próprio Messias (Jesus Cristo). E Ele virá não mais como o “cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!”, diria João Batista, mas, como o “Leão da Tribo de Judá”, para reger as nações com cetro de ferro, segundo o LIVRO DO APOCALIPSE.
Simplificando ao máximo: a volta dos judeus, a criação do Estado, a localização correta de Jerusalém e a reconstrução do Templo configuram o cenário da volta triunfante de Jesus Cristo. Nesse Fim dos Tempos, é evidente que o status atual de Jerusalém de “cidade santa para judeus, cristãos e muçulmanos” contraria o proposto por Deus desde sempre e para o seu futuro, profetizado nas Escrituras bíblicas. Este é o futuro que nos espera, embora antecedido por muito sofrimento dos judeus e cristãos, configurando o ódio nações. E tudo, evidentemente, vai se encaminhando para o clímax: o NOVO CERCO A JERUSALÉM e o reconhecimento (Finalmente!) dos judeus de Jesus Cristo como o Messias. Isaías previu a rejeição, na primeira vinda (LIVRO DO PROFETA 52:13-53-12); e Zacarias, especialmente, o Seu futuro reconhecimento pela nação judaica.
.
  6 – DEIXEMOS AS ESCRITURAS  POR SI MESMAS FALAR:
.
i – “Jesus saiu do templo e, enquanto caminhava, seus discípulos aproximaram-se dele para lhe mostrar as construções do templo.
"Vocês estão vendo tudo isto? ", perguntou ele. "Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas".

.
(...)
Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim.
Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares.
Tudo isso será o início das dores.
"Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa.
Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros,
e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.
Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará,
mas aquele que perseverar até o fim será salvo.
E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
(...)

"Assim, quando vocês virem ‘o sacrilégio terrível’, do qual falou o profeta Daniel, no lugar santo — quem lê, entenda —
então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes.
Quem estiver no telhado de sua casa não desça para tirar dela coisa alguma.
Quem estiver no campo não volte para pegar seu manto.
Como serão terríveis aqueles dias para as grávidas e para as que estiverem amamentando!
Orem para que a fuga de vocês não aconteça no inverno nem no sábado.
Porque haverá então grande tribulação, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá.
(...)

Se, então, alguém lhes disser: ‘Vejam, aqui está o Cristo! ’ ou: ‘Ali está ele! ’, não acreditem.
Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos.
Vejam que eu os avisei antecipadamente.
"Assim, se alguém lhes disser: ‘Ele está lá, no deserto! ’, não saiam; ou: ‘Ali está ele, dentro da casa! ’, não acreditem.
Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem.
Onde houver um cadáver, aí se ajuntarão os abutres.
"Imediatamente após a tribulação daqueles dias ‘o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu, e os poderes celestes serão abalados’.
"Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória.
E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.”  
(EVANGELHO DE MATEUS 24:1-51)
.
ii – “Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reencontro com ele, rogamos a vocês
que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o dia do Senhor já tivesse chegado.
Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição.
Este se opõe e se exalta acima de tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, a ponto de se assentar no santuário de Deus, proclamando que ele mesmo é Deus.
Não se lembram de que quando eu ainda estava com vocês costumava lhes falar essas coisas?
E agora vocês sabem o que o está detendo, para que ele seja revelado no seu devido tempo.
A verdade é que o mistério da iniqüidade já está em ação, restando apenas que seja afastado aquele que agora o detém.
Então será revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda.”

(SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS TESSALONICENSES 2:1-8)
.
iii -  “Vi o céu aberto e diante de mim um cavalo branco, cujo cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e guerreia com justiça.
Seus olhos são como chamas de fogo, e em sua cabeça há muitas coroas e um nome que só ele conhece, e ninguém mais.
Está vestido com um manto tingido de sangue, e o seu nome é Palavra de Deus.
Os exércitos do céu o seguiam, vestidos de linho fino, branco e puro, e montados em cavalos brancos.
De sua boca sai uma espada afiada, com a qual ferirá as nações. "Ele as governará com cetro de ferro". Ele pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus todo-poderoso.
Em seu manto e em sua coxa está escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.
Vi um anjo que estava de pé no sol e que clamava em alta voz a todas as aves que voavam pelo meio do céu: "Venham, reúnam-se para o grande banquete de Deus,
para comerem carne de reis, generais e poderosos, carne de cavalos e seus cavaleiros, carne de todos: livres e escravos, pequenos e grandes".
Então vi a besta, os reis da terra e os seus exércitos reunidos para guerrearem contra aquele que está montado no cavalo e contra o seu exército.
Mas a besta foi presa, e com ela o falso profeta que havia realizado os sinais miraculosos em nome dela, com os quais ele havia enganado os que receberam a marca da besta e adoraram a imagem dela. Os dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre.
Os demais foram mortos com a espada que saía da boca daquele que está montado no cavalo. E todas as aves se fartaram com a carne deles.”      
(LIVRO DO APOCALIPSE 19:11-21)
.
iv – “Vejam, o dia do Senhor vem, quando no meio de vocês os seus bens serão divididos.
Reunirei todos os povos para lutarem contra Jerusalém; a cidade será conquistada, as casas saqueadas e as mulheres violentadas. Metade da população será levada para o exílio, mas o restante do povo não será tirado da cidade.
Depois o Senhor sairá à guerra contra aquelas nações, como ele faz em dia de batalha.
Naquele dia os seus pés estarão sobre o monte das Oliveiras, a leste de Jerusalém, e o monte se dividirá ao meio, de leste a oeste, por um grande vale, metade do monte será removido para o norte, a outra metade para o sul.
Vocês fugirão pelo meu vale entre os montes, pois ele se estenderá até Azel. Fugirão como fugiram do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então o Senhor, o meu Deus, virá com todos os seus santos.
Naquele dia não haverá calor nem frio.
Será um dia único, no qual não haverá separação entre dia e noite, porque quando chegar a noite ainda estará claro. Um dia que o Senhor conhece.
Naquele dia águas correntes fluirão de Jerusalém, metade delas para o mar do leste e metade para o mar do oeste. Isto acontecerá tanto no verão quanto no inverno.
O Senhor será rei de toda a terra. Naquele dia haverá um só Senhor e o seu nome será o único nome.
A terra toda, de Geba até Rimom, ao sul de Jerusalém, será semelhante à Arabá. Mas Jerusalém será restabelecida e permanecerá em seu lugar, desde a porta de Benjamim até o lugar da primeira porta, até a porta da Esquina, e desde a torre de Hananeel até aos lagares do rei.
Será habitada; nunca mais será destruída. Jerusalém estará segura.
Esta é a praga com a qual o Senhor castigará todas as nações que lutarem contra Jerusalém: Sua carne apodrecerá enquanto estiverem ainda em pé, seus olhos apodrecerão em suas órbitas e sua língua apodrecerá dentro de suas bocas.”

               (LIVRO DO PROFETA ZACARIAS 14:1-12)
.
v – “É justo da parte de Deus retribuir com tribulação aos que lhes causam tribulação,
e dar alívio a vocês, que estão sendo atribulados, e a nós também. Isso acontecerá quando o Senhor Jesus for revelado lá do céu, com os seus anjos poderosos, em meio a chamas flamejantes.
Ele punirá os que não conhecem a Deus e os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus.
Eles sofrerão a pena de destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da majestade do seu poder.
Isso acontecerá no dia em que ele vier para ser glorificado em seus santos e admirado em todos os que creram, inclusive vocês que creram em nosso testemunho.”

  (SEGUNDA CARTA DE PAULO AOS TESSALONICENSSES 1:6-10)
.
vi – “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.
Eis que a casa de vocês ficará deserta.
Pois eu lhes digo que vocês não me verão desde agora, até que digam: ‘Bendito é o que vem em nome do Senhor’".

(EVANGELHO DE  MATEUS 23:37-39)
Nota:
Que o leitor atente para a dimensão teológica desse  “Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.
.
vii – “Esta é a palavra do Senhor para Israel. Palavra do Senhor, que estende os céus, assenta o alicerce da terra e forma o espírito do homem dentro dele:
"Farei de Jerusalém uma taça que embriague todos os povos ao seu redor, que estarão no cerco contra Judá e Jerusalém.
Naquele dia, quando todas as nações da terra estiverem reunidas para atacá-la, farei de Jerusalém uma pedra pesada para todas as nações. Todos que tentarem levantá-la se machucarão muito.
Naquele dia deixarei todos os cavalos em pânico e os seus cavaleiros loucos", diz o Senhor. "Protegerei o povo de Judá, mas cegarei todos os cavalos das nações.
Então os líderes de Judá pensarão: ‘Os habitantes de Jerusalém são fortes porque o Senhor dos Exércitos é o seu Deus! ’
"Naquele dia farei que os líderes de Judá sejam semelhantes a um braseiro no meio de um monte de lenha, como uma tocha incandescente entre gravetos. Eles consumirão à direita e à esquerda todos os povos ao redor, mas Jerusalém permanecerá intacta em seu lugar.
"O Senhor salvará primeiro as tendas de Judá, para que a honra da família de Davi e dos habitantes de Jerusalém não seja superior à de Judá.
Naquele dia o Senhor protegerá os que vivem em Jerusalém, de forma que o mais fraco dentre eles será como Davi, e a família de Davi será como Deus, como o anjo do Senhor que vai adiante deles.
"Naquele dia procurarei destruir todas as nações que atacarem Jerusalém.
E derramarei sobre a família de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém um espírito de ação de graças e de súplicas. Olharão para mim, aquele a quem traspassaram, e chorarão por ele como quem chora a perda de um filho único, e lamentarão amargamente por ele como quem lamenta a perda do filho mais velho.”

           (LIVRO DO PROFETA ZACARIAS 12:1-10)
.
Nota:
Que o leitor atente para as implicações e a dimensão teológica desse “Olharão para mim, aquele a quem traspassaram, e chorarão por ele como quem chora a perda de um filho único”.
.
7 – 
     Em recente discurso, Benjamin Netanyahu falou e disse de como o povo judeu sobreviveu às diásporas e às potências militares (E algumas religiosas, como o Império Babilônico.) que deixaram de o ser. A perspectiva histórica do discurso foi perfeita; e bíblica, a sua segurança, quanto a vitória final. Todavia, o  ufanismo do líder judeu e o seu desconhecimento de Jesus Cristo e das profecias bíblicas não lhe permitiram entender que, desta vez, o triunfo não será de Israel; mas, do seu Messias, no passado rejeitado pelos seus. A desinformação é tanta que sabemos haver no governo israelense a cogitação ou elaboração de um (Pasmem-se!!!) plano de segurança para a vinda do.... Messias!


LIVRO DO PROFETA DANIEL, Capitulo 12:
.
 "Naquela ocasião Miguel, o grande príncipe que protege o seu povo, se levantará. Haverá um tempo de angústia tal como nunca houve desde o início das nações e até então. Mas naquela ocasião o seu povo, todo aquele cujo nome está escrito no livro, será liberto.
2 Multidões que dormem no pó da terra acordarão: uns para a vida eterna, outros para a vergonha, para o desprezo eterno.
3 Aqueles que são sábios reluzirão como o brilho do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre.
4 Mas você, Daniel, feche com um selo as palavras do livro até o tempo do fim. Muitos irão ali e acolá para aumentarem o conhecimento".
5 Então eu, Daniel, olhei, e diante de mim estavam dois outros, um na margem de cá do rio e outro na margem de lá.
6 Um deles disse ao homem vestido de linho, que estava acima das águas do rio: "Quanto tempo decorrerá antes de se cumprirem essas coisas estupendas? "
7 O homem vestido de linho, que estava acima das águas do rio, ergueu para o céu a mão direita e a mão esquerda, e eu o ouvi jurar por aquele que vive para sempre, dizendo: "Haverá um tempo, tempos e meio tempo. Quando o poder do povo santo for finalmente quebrado, todas essas coisas se cumprirão".
8 Eu ouvi, mas não compreendi. Por isso perguntei: "Meu senhor, qual será o resultado disso tudo? "
9 Ele respondeu: "Siga o seu caminho, Daniel, pois as palavras estão seladas e lacradas até o tempo do fim.
10 Muitos serão purificados, alvejados e refinados, mas os ímpios continuarão ímpios. Nenhum dos ímpios levará isto em consideração, mas os sábios sim.
11 "A partir do momento em que for abolido o sacrifício diário e for colocado o sacrilégio terrível, haverá mil e duzentos e noventa dias.
12 Feliz aquele que esperar e alcançar o fim dos mil trezentos e trinta e cinco dias.
13 "Quanto a você, siga o seu caminho até o fim. Você descansará, e então, no final dos dias, você se levantará para receber a herança que lhe cabe".
.
LIVRO DO PROFETA MIQUÉIAS 4:
.
“1 Nos últimos dias acontecerá que o monte do templo do Senhor será estabelecido como o principal entre os montes; e se elevará acima das colinas, e os povos a ele acorrerão.

2 Muitas nações virão, dizendo: "Venham, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó. Ele nos ensinará os seus caminhos, para que andemos nas suas veredas". Pois a lei virá de Sião, a palavra do Senhor, de Jerusalém.

3 Ele julgará entre muitos povos e resolverá contendas entre nações poderosas e distantes. Das suas espadas, farão arados, e das suas lanças, foices. Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra.

4 Todo homem poderá sentar-se debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e ninguém os incomodará, pois assim falou o Senhor dos Exércitos.

5 Pois todas as nações andam, cada uma em nome dos seus deuses, mas nós andaremos no nome do Senhor, o nosso Deus, para todo o sempre.

6 "Naquele dia", declara o Senhor, "ajuntarei os que tropeçam e reunirei os dispersos, aqueles a quem afligi.
7 Farei dos que tropeçam um remanescente, e dos dispersos, uma nação forte. O Senhor reinará sobre eles no monte Sião, daquele dia em diante e para sempre.
8 Quanto a você, ó torre do rebanho, ó fortaleza da cidade de Sião, o antigo domínio lhe será restaurado; a realeza virá para a cidade de Jerusalém. "
9 Agora, por que gritar tão alto? Você não tem rei? Seu conselheiro morreu, para que a dor seja tão forte como a de uma mulher em trabalho de parto?
10 Contorça-se em agonia, ó cidade de Sião, como a mulher em trabalho de parto, porque agora terá que deixar os seus muros para habitar em campo aberto. Você irá para a Babilônia, e lá você será libertada. Lá o Senhor a resgatará da mão dos seus inimigos.
11 - Mas agora muitas nações estão reunidas contra você. Elas dizem: "Que Sião seja profanada, e que isso aconteça diante dos nossos olhos! "
12 - Mas elas não conhecem os pensamentos do Senhor; não compreendem o plano daquele que as ajunta como feixes para a eira.
13 "Levante-se e debulhe, ó cidade de Sião, pois eu darei a você chifres de ferro; e cascos de bronze para despedaçar muitas nações". Você consagrará ao Senhor os ganhos ilícitos delas, e a riqueza delas ao Soberano de toda a terra.”


APÊNDICE:

O QUE É A PALESTINA, E QUEM SÃO OS PALESTINOS - CBNNews

https://www.youtube.com/watch?time_continue=26&v=u3_4u6lw-pI



APÊNDICE O2 (Em Maio 26  de 2021):
Ao fazer um comentário, numa publicação da página História Islâmica, fui hoje interpelado. Nos dois PRINTS abaixo a objeção que me foi feita e a devida resposta. 




APÊNDICE 02:


https://www.facebook.com/330990480294923/posts/4780159422044651/


.
IMPORTANTE:

Caso o leitor queira nos abençoar, leia
ESTE MINISTÉRIO APOLOGÉTICO & SUA COOPERAÇÃO, publicado em AGOSTO de 2019:
https://missaoimpactar.blogspot.com/2019/08/este-ministerio-apologetico-sua.html?m=1 

OUTRA OPÇÃO DE AJUDA:
Faça um PIX sem compromisso pras seguintes chaves (CAIXA ECONÔMICA FEDERAL) 

OU:

m.madsaiin.ebook@gmail.com

"Pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo."
(2 CORINTIOS 6: 10)



Nenhum comentário:

Postar um comentário